Dicas

Vienna e suas perfeições

Devo começar esse texto dizendo que eu fiz uma baita burrada por não ter ficado mais tempo nessa cidade. Errei feio, errei bem rude no planejamento e subestimar a cidade. Com certeza, Vienna merece uma semana de nossa plena atenção, só para ela. E olhe lá, ainda faltariam dias para ver tudo de bom, interessante e cultural que a cidade tem para nos oferecer. É uma cidade que à primeira vista parece fria (como muitas por aí), mas se engana quem pensa que isso é verdade. Vienna é pulsante, orgulhosa e imponente. Uma cidade que enche os pulmões para gritar “eu sou demais” (hahahaha). E sim, essa cidade é mesmo demais.

Vienna, capital da Áustria, é uma cidade enorme, linda e abarrotada de coisas para conhecer. Museus, igrejas, monumentos, parques, restaurantes, bares e também podemos fazer um bate volta para Bratislava, que fica a 1 hora de trem, saindo da estação principal da cidade (os trens saem de hora em hora, tanto para ir quanto para voltar de lá).

O metro da cidade é super fácil de andar, mas eu andei muito (pra variar, sempre camelando), pegando o metro apenas quando era necessário mesmo (entende-se, morta com os pés moídos). A cidade tem wifi grátis em vários pontos, incluindo atrações turísticas importantes. Já existe Uber por lá, mas quando eu visitei a cidade ainda não havia, então não posso dizer se é bom ou ruim. Mas utilizei os serviços dos taxistas, que foram excelentes e não te enfiam a faca como em Praga, então pode confiar neles e o valor é justo.

Começando pela parte cultural (não vou me aprofundar muito, pois pretendo fazer outros textos falando somente da parte cultural da cidade) que nem preciso dizer os gênios que nasceram por lá. Simplesmente, Mozart, o menino prodígio, era austríaco (nascido em Salzburg, mas viveu e morreu em Vienna). Freud, o pai da psicanálise nasceu em Vienna e existe até hoje a casa dele, aberta para visitação. Mas, obviamente, devo destacar uma das mulheres que mais admiro na vida, chamada Maria Antonieta, mais conhecida como “Rainha louca da França”. Sim, ela nasceu em Vienna.

Bom, para conhecer Vienna, não tem muito segredo. Descendo na estação Karlplatz (que é a principal estação da cidade), você pode caminhar por um círculo imaginário onde ficam todas as principais atrações e os prédios mais visitados e clicados. Os mais lindos, para falar a verdade. Dá para caminhar tudo ali em poucas horas e fotografar tudo, se você for uma pessoa normal. Se você é uma pessoa maluca por fotos como essa que vos escreve, o tempo ficará curto.

De programas bem turísticos, diria que os concertos inspirados na obra de Mozart, estão no topo, seguido dos passeios de charrete puxados por cavalos lindos trajados de cavalos imperiais (sim, com roupinha e tudo, tadiiinhos dos cavalos, eu daria um coice se fosse eles) e a visita obrigatória ao Palácio de Schonbrunn (que é um dos lugares mais lindos da vida, com toda certeza). Também devo destacar que Vienna é cheia de vários tipos de museus, para todos os gostos. Museu do Papiro, Museu do Tesouro Imperial, Museu Nacional, Museu Leopold, Museu de História da Arte, etc.

O que nunca vai faltar em Vienna, é cultura e história para nos envolver. Nada melhor do que sentar na grama de um parque extremamente perfeito, cheio de flores, admirando algum prédio histórico de existe há séculos, que sobreviveu à guerras e ao tempo, com uma taça de vinho na vinho, comendo frutas frescas e pães. Um pic nic, isso mesmo. Você vai querer agradecer (e muito) por estar ali.

A gastronomia austríaca é bem simples, com elementos simples, mas com influência alemã, francesa e italiana (pasmem, imagina misturar as duas). Conclusão, eu comia até explodir e queria continuar comendo se tivesse um estômago maior. Não esqueça de pedir sempre os pratos típicos do país, sempre uma boa pedida para conhecer melhor tudo. Nada melhor do que saborear o país em sua própria boca.

Anote aí os lugares que você precisa conhecer quando estiver por Vienna.

– Maria – Theresien – Platz

– Palácio de Schönbrunn

– Catedral de Santo Estevão

– Museu de História da Arte de Vienna

– Ópera Estatal de Vienna

– Zoológico de Vienna (eles têm paaaaanda!)

– Rathaus

– Karlskirche

– Parlamento Austríaco

– Parque do Povo (Volksgarten)

Para me hospedar, eu fiquei no Penta Hotels. Ele fica bem pertinho do centro da cidade (caminhando eu ia 15 minutos e voltava em 25, pois já estava cansadíssima). Eles me trataram super bem, tem um bar 24h que pode se pedir drinks, bebidinhas e petiscos (mas os pratos principais só funcionam até às 22h). Quarto silenciosa, café da manhã abarrotado de coisas gostosas e saudáveis, camas confortáveis e localização excelente. Recomendo!

Confesso que conheci menos do que queria da cidade, por isso digo que terei que voltar com mais calma. Acredito que Áustria mereça uma viagem somente por ela, de carro, parando por todas as pequenas cidades e ficando mais tempo nas principais, como Linz, Salzburg, Innsbruck e na própria Vienna. As paisagens são de tirar o fôlego, pois vi um pouco do trem, quando estava indo para Munique.

Portanto, programa-se e deixe se levar pela cadência suave que a Áustria te leva, encanta e apaixona.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*