Enobacana

Taça certa para seu vinho

Tipos de taças para cada vinho

São muitas. Mas muitas mesmo.

Como sempre digo, beber vinho é uma arte. Não basta apenas tirar a rolha e virar o líquido em qualquer recipiente. Não, não.

Vou contar coisas aqui, que tenho certeza que nem imaginavam o porquê, mas há um estudo complexo para cada item dentro dessa coisa bacana chamada Enologia.
Vamos escolher as taças!
Basicamente…
– o vidro precisa ser incolor, fino ou ser de cristal
– tem que pé (haste) para não escondermos o vinho quando segurá-la
– a taça serve para aguçar o olfato, paladar e visual. O mesmo vinho pode ser diferente em cada taça (para os mais aguçados)
– as taças de cristal têm 24% de chumbo, cristal de vidro tem 10% e as de vidro não contém chumbo na sua composição. O chumbo dá leveza ao líquido e deixa a taça mais fina e porosa. A porosidade é positiva, pois quando giramos o líquido dentro dela, o vinho se força contra a parede áspera, quebrando as moléculas, o que aumenta a concentração dos aromas.
Eis as escolhas básicas, que compreendem todos os tipos. Claro que existem dezenas de taças, para cada uva, cada tipo, mas com essas taças que selecionei para vocês, pode-se beber bem sem problemas.
Para os tintos
– Bordeaux
Abrigam vinhos mais encorpados e ricos em tanino, feitos especialmente de Cabernet. O bojo é grande e a borda fechada, parra evitar a dispensão de aromas. A aba fina direciona o vinho para a ponta da língua, permitindo que a untuosidade e sabores frutados dominem antes do tanino. Boa opção para vinhos Cabernet Sauvignon, Malbec, Merlot, Shyrah, Tannat, etc.
– Borgonha
São taças usadas para vinhos mais complexos e concentrados, como o Pinot Noir. As taças são em formato de balão, que permitem maior contato com o ar, que faz com que o buquê de aromas de libere mais rápido, para que o vinho explore nosso nariz. O formato leva o vinho para a ponta e centro da língua, diminui a acidez e acentua as qualidades mais arredondadas e maduras do vinho. É indicada para Rioja tradicional, Barbera Barricato, Amarone, Nebbiolo, etc.
Para os vinhos brancos
As taças têm o corpo menor por dois motivos:
– São vinhos que precisam ser consumidos mais rapidamente
– Recipiente menor evita mais troca de calor com o ambiente.
As notas de frutas precisam ser realçadas, por isso a aba estreita entrega o fluxo com equilíbrio entre a doçura e a acidez, o que é importante para esse tipo de vinho.
Para os vinhos rosados
A taça é menor que dos vinhos brancos, porque tem mais tanino. Mas seu bojo é maior com a borda fina. Acentua a acidez do vinho, equilibrando a doçura. Na urgência, pode ser servido em taças de vinho branco.
Para os doces e fortificados
O bojo é pequeno porque é um vinho servido em pequenas quantidades. É estreita na parte superior para que o fluxo seja direcionado para a ponta da língua, onde os sabores doces são mais percebidos.
Para os espumantes e champagne
Chamamos essa taça de flûte, ou flauta. Serve para apreciar as borbulhas, ou perlage. Direcionar a efervescência e os aromas para o nariz, controla o fluxo acima da língua, mantendo o equilíbrio entre limpeza da acidez e a saborosa profundidade. Tem que ter um bojo, mesmo que pequeno. Se for reta, não realça aroma nenhum.
Basicamente, são essas taças que usamos muito bem para todos os tipos de vinhos. É difícil ter todos os tipos, para cada vinho. Portanto, tendo apenas essas, já podemos beber bem e saborear com prazer cada gotinha desses líquidos maravilhosos.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*