Europa

Rota Gastronômica em Paris

Rota Gastronômica em Paris

 

Uma das melhores coisas para fazer quando estamos viajando, é comer e beber bem. Mas se você estiver pela França, isso se torna uma obrigação. E é a coisa mais fácil quando estamos em terras francesas, comer e beber bem. Podemos encontrar bons bistrôs em qualquer (veja bem, qualquer mesmo) cidade da França. Seja essa cidade pequena, ou não. Assim como também encontramos bons vinhos franceses em qualquer esquina do país.

Nessa última viagem à Paris, o Ale e eu decidimos comer bem mesmo. Escolhemos a dedo vários restaurantes que estavam perto (ou não) de nossos hotéis. Resultado disso? Uma chuva de bons restaurantes para eu contar tudinho a vocês, com o mapa da mina. Ou melhor, o mapa da boa comida. Já adianto que vai ser difícil escolher o melhor. Então nem vou tentar fazer isso.

– Bistrot des Campagnes

É um bistrô bem pequeno, com poucas mesas (aliás, acredito que quase todos dessa lista são nesses mesmo estilo), porém elas ficam bem próximas. O bom é que os franceses são educados e falam baixo, assim não ficamos escutando a conversa dos outros. Nesse bistrô, era um esquema de mais ou menos 30 euros por pessoa, onde estava incluído entrada e prato principal, mas se você optasse por um de 32 euros (não lembro ao certo), vinha também com sobremesa.

Escolhemos de entrada tartar de salmão e profiteroles de queijo com tomate confitado, ambos vinham com saladinha verde. De prato principal pedimos o mesmo. Carne grelhada com molho de vinho e batata frita para acompanhar. Estava tudo maravilhoso! De sobremesa pedimos profitelores. Já que estávamos na França… <3 Para descer tudo isso, sempre uma garrafa de um bom vinho francês.

– Mont Brasserie

Brasserie não tem segredo. Sempre vamos encontrar comida boa, com bons pratos e bons preços. Essa brasserie fica fora daquele circuito das mais famosas, então tem preços mais justos. Ela fica no Boulevard Montparnesse e paramos lá para tomar um chocolate quente (estava fazendo algo entre 6 graus em Paris quando estávamos por lá) e comer um Croque Monsieur. Pra variar… Tudo impecável. Ótimo lugar para comer algo leve e rápido.

– Chez Marcel

Esse restaurante foi uma grata surpresa. Eu já tinha lido em algum lugar sobre ele, mas por alguma razão deletei o pensamento. Mas ele ficava exatamente na frente do nosso primeiro hotel, o Le Six, então na segunda noite de viagem, decidimos jantar lá. E foi uma decisão muito sábia que tomamos. Ele também é no esquema mesas juntas, pessoas falando baixo, muito vinho e muita comida boa. É um bistrô que existe desde 1919. Então ano que vem ele vai completar simplesmente 100 anos. Genial!

Para comer por lá, escolhemos uma espécie de salada de cogumelos variados com um molho que tinha vinagre, mas também tinha algo meio cremoso que não consegui identificar, com vários pedaços suculentos de presunto. De prato, pedimos salmão gravilax com purê de cenoura. Estava tudo maravilhoso. Nesse bistrô, pedimos uma garrafa de vinho da casa.

– La Cave Gourmande

Esse restaurante foi demais! Comemos num almoço mais tardio e de tanto que comemos, não conseguimos jantar (mesmo tendo caminhado o dia todo por Montmartre, no final “jantamos” queijos que compramos em uma Fromagerie, uma baguete com mostarda dijon e muito vinho francês). A localização desse restaurante é perfeita. Fica bem no coração de Montmarte, numa subidinha bem fácil de achar, antes da Sacré Coeur.

Para comer, pedimos o famoso Boeuf Bourguignon, que é o nosso (salvo as devidos considerações de ingredientes) picadinho. Nada mais é do que uma carne de corte específico (geralmente músculo), com muito molho e vários legumes cozidos juntos. Cenoura, batata, mandioquinha, cebola, etc. Tudo isso misturadinho com o molho e a carne. Para acompanhar pedimos batata frita. E agora vocês conseguem entender o porquê de termos evitado o jantar nesse dia. Comemos até quase explodir de tão bom que estava.

– La Bauhinia

Para quem acompanha o blog já sabe que postei sobre esse restaurante não tem muito tempo. Ele fica dentro do hotel Shangri-la, ao lado da Torre Eiffel. E é um verdadeiro sonho conhecer esse restaurante e esse hotel. O preço é mais salgadinho (em média de 60 euros por prato, ou mais) do que o resto dos restaurantes, mas se você estiver com vontade, vale cada centavo.

Eles trabalham com menu a la carte e também com um menu de preço fechado onde provamos entrada, prato principal e sobremesa. Nós escolhemos saladinhas de entrada e um Angus de Vitela de prato principal.

– Les Doux Magots

Ir à Paris e não visitar algum lugar que tenha no mínimo 100 anos de existência, é um pecado (e quase impossível, pois tudo lá é muito histórico). Então anote na sua lista que esse café é um dos que você precisa visitar. O Les Doux Magots teve presença notável durante os anos 20 de Paris. Imagine a quantidade de artistas da época que passaram por lá. Escritores, pintores, poetas, etc. Todos!

Para comer as opções são bem simples, de café mesmo. Eu fiquei no Croque Monsieur que estava maravilhoso. Foi o melhor jeito de dizer um “até logo, Paris”. As opções de café são ótimas também e os fãs dessa bebida precisam provar. Ele fica ao lado de um outro café histórico, o Café Flore, mas eu gosto mais do Les Doux Magots.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*