América

Navegação pelo Canal de Beagle, em Ushuaia

Navegação pelo Canal de Beagle, em Ushuaia

 

Como são muitos detalhes de cada passeio que fizemos lá em Ushuaia, decidi que seria melhor fazer um texto de cada um. Vou começar com esse que eu fiquei muito apaixonada e que me deixou bem emocionada. Vocês sabem que eu me emociono toda vez que vejo animais de perto, né?! Ainda mais quando são selvagens e estão em seu habitat natural. Aqui, não foi diferente. Fizemos a navegação pelo Canal de Beagle, lá no fim do mundo, literalmente. Ushuaia é uma das regiões mais austrais do mundo, ficando a apenas 1000 km de distância da Antártida (que sonho em conhecer também). Vou contar os detalhes de como foi esse passeio.

Geralmente, os barcos dos passeios saem do Centro da cidade. Na verdade, fica bem ali onde todos os turistas que visitam a cidade querem tirar uma foto ao lado da placa do Fim do Mundo. Um clássico no Ushuaia. Ali pegamos o barco para fazer esse passeio. Existem diversas empresas que fazem todos os passeios. Escolhemos uma que foi recomendação do hotel que estávamos, o Los Cauquenes, mas todas são bem parecidas. O que mais muda é o tamanho do barco e quantidade de pessoas que vai junto. Se paga uma taxa portuária de mais ou menos 40 pesos e os passeios vão de 2000 pesos (algo em torno de 210 reais) até 4000 pesos (algo em torno de 440 reais). Os passeios mudam de valor conforme o tamanho do barco, pela agência, etc. Tudo depende do que você está contratando.

Os passeios pelo Canal de Beagle são obrigatórios quando estamos em Ushuaia. Além de vermos de perto as belezas naturais da região, podemos ver os tantos animais que ficam ali. Alguns são nômades e ficam indo e vindo. Outros, moram no Canal o ano todo, seja verão ou inverno. Os sazonais são os pinguins e às vezes as baleias. No outono os pinguins vão embora para regiões menos frias e as baleias geralmente, quando aparecem por lá, é no verão também. Mas o ano todo podemos ver lobos marinhos, leões marinhos, pássaros da região e até elefantes marinhos. Sim, cada um tem a sua característica, por mais que a gente ache que são todos bem parecidos.

O passeio começa com uma aula sobre o Canal de Beagle e sobre Ushuaia. Ali, tem muita história, desde antes de seu descobrimento, até os dias de hoje. A primeira parada é na Ilha dos Lobos Marinhos, que ficam ali o ano todo. Eles são lindos demais. Alguns enormes (geralmente os machos são bem grandes e fortes) e outros bem menores (as fêmeas são mais delicadas, mais bonitas e menores). O engraçado é ver como esses bichos se comportam. No pouco tempo que estivemos lá, pudemos ver uma pequena briga por território (sim, eles são extremamente territorialistas) e várias cenas de namoro. Foi demais ver esses bichos de perto e como eles são fofos. Dá vontade de ficar apertando muito.

Depois fomos até outra ilha que fica relativamente perto da anterior, mas essa é habitada somente pelos leões marinhos. Que são diferentes dos lobos, em tamanho e em algumas características. Nesse caso, os leões marinhos de Ushuaia possuem uma segunda camada de pelo, então fica mais fácil para diferenciar. E eles são mais pro dourado, sendo que os lobos eram mais pro cinza. Então ficou fácil para saber. Os leões realmente parecem leões, porque o pelo deles era dourado tipo uma juba. Muito fofos. Havia menos animais nessa ilha e eles quase se camuflavam nas pedras. Lindos!

Depois seguimos o passeio e navegamos em direção ao Farol clássico de Ushuaia, que é um dos cartões postais da região. O Farol mais ao sul do mundo, ou como é conhecido, o Farol do Fim do Mundo. Tenho certeza de que se você já pesquisou sobre Ushuaia, já viu fotos desse lugar. É um farol que ainda funciona e a região toda é muito linda. Para todos os lugares que olhávamos, era uma beleza mais arrebatadora que a outra. Fantástico.

Na volta, paramos em uma ilha onde podíamos caminhar e fizemos algumas trilhas por lá. Vimos um lugar onde antigamente os nômades da região se abrigavam do frio intenso do fim do mundo. No lugar, havia um círculo na terra e ali, ao redor dos arbustos, eles se escondiam do frio, faziam fogueiras, comiam os seus alimentos (tanto que ainda existem pedaços de ossos de animais por lá) e viviam naquela ilha. Engraçado pensar em como tudo era tão diferente. Na trilha que fizemos, chegamos ao topo de uma colina não tão alta, mas dali, podíamos ver com perfeição por todos os lados do Canal de Beagle e uma paisagem maravilhosa de Ushuaia. É realmente de tirar o fôlego.

Para fazer esse passeio e necessário estar bem agasalhado. Para quem não viu meu texto sobre as roupas certas para esse tipo de viagem, veja o post abaixo.

https://viagensdatalita.com.br/mundo-terra-a-loja-certa-para-sua-aventura/

Ali, eu expliquei a importância de estar vestido com as roupas certas, pois nossas roupas normais para o dia a dia, mesmo que sejam de inverno, não funcionam lá e nem em nenhum lugar onde temos um frio rigoroso. Navegar no rio vai ser sempre mais frio do que estar em terra. A umidade ajuda a aumentar essa baixa sensação térmica.

Anote na sua agenda que uma vez em Ushuaia, fazer esse passeio é obrigatório. Estávamos em dúvida quanto a fazer esse passeio e o passeio para os lagos escondidos, em um 4×4. Deve ser bem bacana fazer esse também, mas a Navegação no Canal do Beagle foi muito especial. Como disse acima, além de ficar emocionada de ver os animais tão de perto e tão lindos, as paisagens são surreais de tão lindas. Fiquei realmente apaixonada e faria novamente esse passeio se voltasse à Ushuaia. Vale muito a pena. Ah! Já estava esquecendo. Esse itinerário que descrevi no texto foi o que escolhemos para visitar. Existem outros. Dê uma pesquisada em qual lhe agrada mais, antes de fechar o passeio.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*