Bares

Must Bar em SP

Finalmente um bar de hotel que não é deprimente e que vale a pena conhecer. Aliás, dá gosto de conhecer esse aqui. Estou falando sobre o Must Bar, que fica no piso térreo do Hotel Tivoli, ali no bairro dos Jardins, pertinho da Av. Paulista. Além de seguir a decoração requintada do próprio hotel, o Must tem sua identidade. Já conto o porquê.

O ambiente é espaçoso, as mesas são distantes umas das outras, o que garante a privacidade da conversa das pessoas, seja lá que estiverem conversando. A decoração é muito elegante, mas o que chama a atenção quando entramos, é o tamanho do bar. Lindo, enorme e super brilhante. Se não bastasse isso, a variedade e qualidade das bebidas é fantástica! Vários tipos de gin, vodka, cerveja, vinhos, conhaque, whisky… É tipo a Disney para quem gosta de bons drinks o/ (eeeeee).

PS da Tali: lá tem uma garrafa maravilhosa de um conhaque chamado Louis XIII. Para quem conhece, essa bebida é totalmente distinta das demais, tem toda uma história. As pessoas que fizeram aquela safra da garrafa que estava lá, não vivem mais, por dois simples motivos. Primeiro, a bebida é super envelhecida. Segundo, é para ser uma bebida histórica. A dose (veja bem, estou falando da dose somente) custa mais de dois mil reais. Babou?

Bom, mas vamos ao que interessa. O bar tem um foco absurdo nos drinks. Prova disso é que eles trouxeram uma bartender premiada (já eleita a melhor do Brasil pela Grey Goose e pela Cocktail Journey Diageo) chamada Jessica Sanchez. Posso confessar? Ela arrasou na elaboração da carta dos drinks.

Como o bar fica ao lado da piscina do hotel, ela criou um menu AM, para ser servido até às 17h e um outro PM, servido até o bar fechar, geralmente em torno da 1h da manhã. Fui no período da noite, então provei os drinks noturnos (hehehehe). Vontade de provar todos, mas minha tolerância alcoólica não aguentaria e eu teria que sair de lá arrastada.

Comecei pelo Amaro Julep que leva Cynar, Shrup de framboesa, xarope de canela e prosecco. Delicioso. Uma explosão de sabores na boca. Além de ter uma apresentação maravilhosa. Adoro quando fico com dó de beber o drink. Isso significa que já comecei a bebê-lo mesmo antes de provar, bebendo com os olhos.

Para harmonizar com os drinks, eles possuem uma carta de pratos bem animadora. Sério. Outra vez tive que me segurar para não provar tudo. Aí entra a questão de que meu estômago não é tão grande assim. Comecei com uma porção de asinhas de frango dos deuses. Não sou muito fã delas e muito menos, fã de comer com as mãos (justamente pelo fato de que eu me sujo toda, meleco a roupa, derrubo e faço uma bagunça na mesa e no prato). Mas, me dei super bem com elas, comi tudinho e estavam maravilhosas! Apimentadas no ponto certo. Outra vez, apresentação impecável.

Depois fui para um drink que foi o meu favorito. Além de lindo, esse era cheiroso, pois leva camomila. Se chama Cup of Tea e ele é inteiro surpreendente! Leva gin Tanqueray (o/), redução de amora, orange bitter e uma espuma feita com camomila e geléia de cabernet! Isso mesmo, uma geléia de cabernet! O vinho! Foi um dos melhores drinks da vida e eu ficaria cheirando ele para sempre. Amei!

Depois fui para um clássico que amo muito muito muito muuuuito!! A famosa Moscow Mule. Tenho um ranking secreto dessas belezinhas que ainda não divulguei, mas essa, com certeza, estaria bem rankeada na lista. Clássico, que eles deram ser toque colocando um pouco de pimenta em cima da espuma de gengibre. Não se assuste. A combinação funcionou.

Ainda na degustação dos pratos, decidi provar as bruschettas deles. A porção vem com 6 unidades, duas de cada sabor, perfeita para compartilhar mesmo. Uma de presunto parma com figo (adoro esasa combinação), outra de salmão com ricota e rúcula, e a última de queijo com cebola caramelizada. Todas deliciosas.

O último drink que provei, foi um chamado St Road Sour, feito com whisky, shrup de jabuticaba, amaro nonino e grapefruit. Amei a apresentação, delicada e ele é super aromático também, misturando acidez com a doçura da jabuticaba e a peculiaridade do wkisky. Fiquei apaixonada.

Para finalizar os pratos, provei o basicão. Batatas rústicas temperadas com páprica e acompanhadas de guacamole com umas pimentinhas. Super bem feitas, saborosas e equilibra muito quando misturamos tudo na boca.

Pessoal, o Must Bar vai além de tudo isso que eu contei para vocês. A carta de drinks e de pratos é bem extensa. Mas extensa mesmo, é a variedade de bebidas que eles possuem lá. O bar enorme faz jus ao tamanho e está lotado de bons rótulos, de todos os tipos de bebida. É um verdadeiro bar de drinks bem no coração de SP. Posso falar? Estava faltando muito um bom bar de drinks assim aqui na nossa cidade. É tudo perfeito! Eles escolhem a dedo tudo, todos os ingredientes e todos os elementos de cada drink e prato. Perfeição…

E volto a dizer! É um dos poucos bares de hotel que não é deprimente. Ahhh! Já ia me esquecendo. Olhem a agenda do bar, pois sempre vai alguém cantar um bom jazz por lá. Dia 11 de fevereiro o Tony Gordon irá se apresentar no bar. Corre para fazer a reserva e comprar o ingresso. As reservas podem ser feitas pelo telefone (11) 3146.6405.

Motivos para conhecer o Must Bar não faltam. Nem adianta dizer que é caro ou algo do tipo, pois os preços são os mesmos que você pagaria indo beber na Vila Madalena ou no Itaim. Então, sem desculpas. Corre, meu povo!

Must Bar
Alameda Santos, 1437. Jardins. SP. Piso térreo do Hotel Tivoli.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*