Meus Livros

Música do Coração – Capítulo 5

Capítulo 5

No final da sexta-feira, Claire conseguiu terminar todas as avaliações do material que tinha em mãos. O resultado final não foi o que ela esperava e também não era o que Rose esperava. Ela tinha conseguido aprovar somente 6 bandas e 2 cantores para passarem para a fase de entrevista. Todos os outros tinha sido reprovados. Claire não estava feliz com aquilo. Gostaria de ter assinado mais aprovações, mas não iria passar por cima de seus critérios de avaliação, só para fazer número.

Ao entrar na sala de Rose com a última aprovação, ela sentiu o clima um pouco tenso, pois Rose estava tendo uma conversa séria com Janett, a mulher responsável pela arte das capas dos cds e dvds lançados pela gravadora. Claire havia batido na porta e Rose disse que poderia ter entrado, mas mesmo assim, estava se sentindo uma intrusa naquela conversa. Mas em poucos segundos, Janett se levantou e saiu, sem olhar muito para Claire.

– Janett é minha melhor funcionária na área de arte, mas é a mais cabeça dura. – Rose balançou a cabeça e olhou para as mãos de Claire. – Diga-me que tem 5 aprovações em suas mãos. Preciso alegrar meu dia. – Rose quase suplicou e Claire mordeu os lábios.

– Tenho apenas uma, Rose. Me desculpe. – Claire deu alguns passos para se aproximar e entregou nas mãos de Rose, sua última avaliação. Rose leu todas as observações que Claire havia escrito e sorriu.

– Bom, há quem diga que qualidade é mais importante que quantidade. Confio em você. E se diz que todo o resto do material não serve para nossa gravadora, vou acreditar.

– Obrigada pela confiança, Rose.

– Não me agradeça, querida! Agradeça a sua reputação. – As duas riram.

– Semana que vem vou começar a caminhar por aí, em restaurantes que toquem música ao vivo, vou ver se escuto alguns artistas de rua, essas coisas. Vou começar a caçar. – Elas riram ainda mais. – E como já coloquei todo o trabalho em dia, pode dizer que estamos aceitando material novamente.

– Ah sim. Vou falar com o Edward para fazer isso. – Rose sorriu. – Aliás… Você está despertando paixões aqui nesse escritório. Os homens estão loucos por você.

– Imagina. – Claire estalou a língua dentro da boca. – Eu não quero nem pensar em relacionamento agora. Sei que é clichê demais falar isso, mas é a verdade. E falando em verdade… Consegui pensar muito durante essa semana e percebi que foi melhor assim. Matthew e eu nunca daríamos certo. Daqui algum tempo, quem sabe, eu esteja preparada para uma nova aventura.

– Eu te entendo perfeitamente, Claire. Tudo ao seu tempo, sem atropelar nada. – Rose piscou para ela. – Bom, acho que você não tem mais trabalho hoje. Pode ir um pouco mais cedo para casa.

– Por falar em casa, esse final de semana vou sair do hotel. O apartamento já está quase completo. Amanhã terminam de chegar as últimas coisas que comprei. Quero que vá lá conhecer. Estou apaixonada pela minha nova casa.

– Claro! Irei conhecer com todo prazer. Essa fase de mudança assusta um pouco, mas é deliciosa. Aproveite.

– Sim. Estou curtindo cada item que compro para lá. – Claire sorria. – Bom final de semana, Rose.

– Para você também, querida!

Claire tinha planos de encontrar sua amiga Tiffany para irem à uma festa. Mas antes teria que passar na casa do seu pai, para saber se tudo estava em ordem. Ficou feliz por ver que o pai estava mais animado e que sua casa estava mais viva, com mais cores. Ele estava cuidando das flores que ela havia comprado para ele e percebeu que a quantidade de frutas também havia diminuído. Sinal de que o velho Steve estava mantendo a alimentação saudável, pelo menos até aquele momento.

Como ainda tinha um tempo até voltar para o hotel, depois que saiu da casa do pai, Claire decidiu caminhar pela grande loja Harrods, para ver se encontrava uma roupa nova para ir à festa. Conseguiu comprar um lindo vestido vermelho que iria valorizar as curvas de seu corpo bem definido.

Claire estava feliz. Feliz como há muito tempo não ficava. Estava gostando de ter sua vida de volta na cidade que sempre amou e que se identifica tanto. Queria saborear cada minuto, cada olhar e cada oportunidade.

***

Claire desceu do táxi no bairro do Soho e se protegeu com bolsa carteira que estava em suas mãos, para evitar que muitos pingos de chuva caíssem em sua cabeça. Aquele pub era um velho conhecido das duas amigas. Bandas tocavam o mais puro blues de Londres, fato que alegrava tanto Claire quanto Tiffany. Correu para dentro do pub e logo avistou Tiffany, encostada no balcão do bar, conversando com os mesmo amigos do outro dia. Ela logo escutou a música que estava tocando ao fundo, “Back to Black” da cantora inglesa Amy Winehouse. Claire olhou em volta mas não viu Sam. Se aproximou deles e Tif abriu um sorriso enorme quando viu a amiga chegar.

– Ainda não acostumei em ter você de volta. Sempre me assusto quando te vejo chegando. – Disse Tiffany abraçando a amiga.

– Espero que se assuste de um modo bom, pelo amor! Ou vou me achar com cara de fantasma, ou algo do tipo. – Claire deu um tapinha no braço da amiga e cumprimentou todos os outros rapazes que estavam junto, mas logo voltou para o lado da amiga.

– Vamos fazer um esquenta aqui e depois vamos para a festa. A festa será aqui perto, na The Egg. – Disse Tif e logo Claire começou a gargalhar. – Sim, já sei o que está lembrando, sua vaca.

– Impossível não lembrar da sua atuação naquele lugar. Na última vez que fomos, você tomou tanta tequila que caiu sozinha no meio da pista, e não contente em só cair, abriu os braços e as pernas, fazendo anjinho. No chão da balada! – Claire gargalhava e tentava imitar a amiga, que só a olhava, fazendo cara de séria, mas segurando o riso. – Olhe, olhe! Estou no chão da festa fazendo anjinho como se faz na neve!

– Ora, cale a boca! – Tif beliscou o braço de Claire, mas não foi suficiente para fazê-la parar de rir. – Minha nossa! Olha quem está vindo para cá! – Claire olhou para trás e viu o vocalista da banda The Killers e no mesmo momento eles sorriam um para o outro.

– Preciso sair dos Estados Unidos para encontrar com você? – Disse Brandon e abraçou Claire.

– Não acredito! O que está fazendo aqui em Londres? – Claire escutou alguns burburinhos em sua volta e as mulheres estavam olhando para Brandon. – Veio fazer algum show?

– Na verdade não. Viemos para gravar nosso novo videoclip. E acredite se quiser, lembrei de você hoje, estou aqui por sua causa! Você tinha me dito sobre esse pub e vim escutar as músicas para conferir se são boas mesmo.

– Brandon, você não vai se arrepender, pode ter certeza. Daqui a pouco eles vão começar a tocar e você ficará de queixo caído. – Claire sentiu sua amiga lhe cutucar pelas costas, discretamente. Se virou sorrindo e puxou Tif para ficar mais ao seu lado. – Brandon, deixe-me apresentar minha amiga Tiffany. Ela é uma grande fã da sua banda.

– Olá, Tiffany. – Brandon se aproximou e deu um beijo no rosto de Tiffany, que sorriu e ficou enrubescida.

– É um prazer enorme conhecê-lo! – Tif não conseguia esconder os dentes dentro da boca.

– O prazer é todo meu. – Ele sorriu para ela e logo voltou a olhar para Claire. – Fiquei sabendo que iria voltar para cá, mas pensei que fosse demorar algum tempo ainda.

– Não, fechamos o contrato no mês passado. Cheguei aqui essa semana e pretendo não sair tão cedo.

– O Matthew veio com você? Ou aquele idiota te deixou vir sozinha?

– Segunda opção! – Claire deu risada e Brandon balançou a cabeça.

– Alguns homens não sabem a sorte que tem. Eu não teria te deixado escapar. – Brandon deu uma piscada para Claire e ela lhe deu um tapinha no braço.

– Brandon, pare de tentar me xavecar. Você sabe que não vai conseguir. – Claire quase gargalhava e Brandon mordeu os lábios.

Ele ia dizer alguma coisa, mas foi interrompido por duas meninas que pediram para tirar uma foto com ele. Claire sorriu e se virou para o bar, para pedir uma bebida.

– Eu não estou acreditando que você está dispensando o Brandon Flowers. – Disse Tif, baixinho perto do ouvido de Claire.

– Eu já fiquei com ele uma vez. Somos amigos, nada mais. Eu ajudei muito a banda dele quando estava em New York. Não daríamos certo nunca.

– Por que nunca daria certo? Ele é bonito demais para você? Ou a banda não é boa o suficiente? – Perguntou Tif com ironia. Claire olhou para trás e viu Brandon conversando com mais algumas meninas e sendo simpático como sempre foi.

– Porque não! – Ela pega o copo de cerveja que havia pedido e bebe um gole longo. – Que saudade de beber Heineken. – Brandon volta para perto de Claire e repousa sua mão em seu ombro.

– Claire, vou ficar na cidade por mais 3 dias. Vamos sair para jantar ou algo do tipo. Seu telefone continua o mesmo ou já tem um número londrino?

– Ainda tenho o número de New York, vou deixá-lo ativo por mais alguns meses. Pode ligar nele.

– Combinado. Nos falamos então. – Ele se aproxima e lhe dá um beijo no rosto e um abraço apertado, ambos bem demorados. – Você sempre está linda e cheirosa. – Ele disse no ouvido dela.

– Obrigada, Brandon. Até mais.

Ele se despediu de Tiffany e foi para o meio da multidão. Claire bebeu outro longo gole da cerveja e percebeu que a amiga dava risada ao seu lado.

– Em outra vida, quero voltar na sua pele! Deve ser muito legal ser admirada por todos os homens.

– Quem te escuta falando assim, até pode pensar que seja verdade. Fique quieta, Tif! – As luzes se apagam e elas sabem que o show está começando.

Entra no palco daquele pub, uma banda com 4 integrantes e começam a tocando animadamente sucessos e clássicos do blues.

Algumas cervejas mais tarde, as duas amigas saem do pub acompanhadas pelos rapazes e Sam, que havia chegado algum tempo depois. Ele e Claire estavam conversando a noite toda. Em dois carros, eles partem para a festa.

Claire sabia que iria precisar cuidar da amiga, pois Tif já estava um pouco bêbada. Deu risada ao pensar que o episódio do “anjinho na pista” poderia se repetir.

Mas a cabeça de Claire estava longe. Ela estava prestando atenção na moça de 21 anos que estava cantando no pub, junto com a banda. A voz dela era maravilhosa, limpa e cheia de vida. Uma voz especial que fez Claire ficar de boca aberta no mesmo instante em que a ouviu cantando “Feelin’ Good” da Nina Simone. Resultado: uma entrevista marcada para a semana seguinte e lágrimas nos olhos da moça. Juliette ficou radiante e abraçou muito Claire.

– Hey, Claire? Onde você está, hein? – Perguntou Sam, ao lado dela no carro. Com certeza ele estava falando alguma coisa e ela não estava ouvindo uma palavra sequer.

– Nossa, desculpa, Sam! Eu estava praticamente em outro planeta. – Ela sorriu. – O que você disse?

– Que a mulher que estava cantando hoje lá ficou muito feliz por você ter ido conversar com ela. A voz dela é demais!

– Sim, eu estava pensando exatamente nisso. Espero que ela consiga ir à entrevista e se sair bem nos testes que farão com ela. Vou torcer muito.

– Qual é a banda ou artista mais famoso que você descobriu?

– Ahh. Essa pergunta é uma das que mais me fazem, mas infelizmente não posso responder. Na verdade, nem tenho como responder. Cada banda tem o seu sucesso e mesmo que não estourem de modo global, eles podem fazer muito sucesso em alguns países. Não consigo pensar em quem é o mais famoso, bem sucedido… É impossível fazer uma lista disso.

– Entendo. Cada artista é peculiar.

– Exatamente. Eles são peculiares, como posso denominá-los? É impossível.

Ela ficou em silêncio novamente. De repente já não tinha mais vontade de ir para a festa. Ela queria voltar para o hotel e dormir cedo, para acordar no dia seguinte e ir caminhar pelos metros de Londres, em busca de artistas de rua. Fazer essa busca pelas ruas era sempre uma de suas tarefas favoritas. Eles geralmente eram humildes, tocavam de coração e se ela conseguisse fazer com que eles despontassem, seria o paraíso para ela. Assim que pensou que deveria pedir para Sam levá-la ao hotel, eles chegaram à porta da festa. Ela respirou fundo e deu de ombros. Então teria que aproveitar a festa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*