Meus Livros

Música do Coração – Capítulo 13

Capítulo 13

Claire precisou respirar muito para não desabar na frente de Alex. Ele havia aberto seu coração para ela, contou toda sua história de vida e sabia que ele só havia feito isso, porque estava realmente confiando nela. Finalmente, ele estava a vendo como uma amiga. Mas para Alex, Claire já era uma pessoa especial. Uma pessoa que ele se sentia à vontade e que queria estar junto o tempo todo.

Ela não disse nada depois que ele terminou de contar tudo. Ele bebeu alguns goles do vinho que ainda havia em sua taça e ela ficou olhando para o chão. Pensava que iria pensar duas vezes antes de reclamar de qualquer coisa a partir daquele dia.

Alex nunca tinha contado sua história antes e contá-la de novo, foi reviver alguns sentimentos que ele havia se esquecido de como eram. Como a raiva que sentia pelo pai e mesmo assim cuidava dele. A mágoa e a decepção da mãe, por tê-lo abandonado ainda tão criança, pensando apenas em si própria. Ele pensou que se encontrasse com a mãe, não saberia como iria reagir. Não sabia se iria querer abraçá-la ou simplesmente ignorá-la. Ele havia se tornado adulto e aprendido com seus erros, sozinho. Não precisou da ajuda dela para se tornar a pessoa que era. Tudo foi mérito dele mesmo, as partes boas e as partes ruins também.

– Você nunca mais a encontrou? – Claire perguntou, depois de limpar a garganta levemente. Ela estava mesmo se controlando para não chorar.

– Não. E nem sei se quero. Depois de tanto tempo… – Ele olhou para Claire, que estava com os olhos marejados, mas sem derrubar uma lágrima sequer ainda. – Não precisei dela para errar e acertar. Não sei se quero encontrá-la novamente.

– Entendo… Alex… O importante é quem você é! Você perdeu sua essência por algum tempo, se deixou levar, cometeu erros e quase pagou por eles com sua própria vida. – Claire sentiu um frio subindo por sua coluna, quando pensou que se isso tivesse acontecido, ela não estaria ali, na frente de um dos maiores talentos que já havia encontrado. – Mas agora você tem uma grande chance de mostrar tudo o que realmente é. Se permitir tentar! Pode fazer tudo certo agora. E eu estou muito feliz de estar envolvida nisso. É tão importante para mim, quanto é para você. – Claire segurou a mão dele, com firmeza e eles se olharam novamente. Se apaixonando um pouco mais um pelo outro.

– Eu sei, Claire. Você é uma pessoa boa. Acho que é a melhor pessoa que já encontrei em minha vida. – Alex disse, com sinceridade e isso fez com que uma discreta lágrima escorresse pelo canto do olho de Claire. Ela se afastou e deu risada.

– Tudo bem, eu admito que sou uma manteiga derretida. Choro por qualquer coisa. – Ela deu risada e secou o olho. Ele a achou ainda mais linda. – Bom, vamos… Vamos escrever então?

Ele assentiu e ela se levantou indo buscar o seu computador. Mas antes passou pelo rádio e desligou a música que ainda estava tocando. Eles não estavam mais escutando música alguma.

Quando ela voltou, estava com o computador em um braço e segurava o pequeno grande Thor, na outra mão. Alex sorriu e esticou os braços, pegando Thor da mão de Claire.

– Ele estava andando pela casa toda, cheirando tudo. Kissy está deitada na minha cama, acredita? – Claire se sentou ao lado de Alex e passava a mão na cabeça de Thor, que estava no colo de Alex e abanando o rabinho para todas as direções. – Estou com ciúmes! Meus bichos gostaram mais de você do que de mim! – Alex deu risada. – Terei que ter uma conversa bem séria com eles mais tarde. – Alex ainda sorria e passou o filhote para o colo de Claire.

– Você fez ótimas escolhas com os bichinhos. Eles são lindos e amorosos. – Disse Alex, olhando para Claire levantando Thor ao alto e fazendo barulhos estranhos com a boca, para atiçar a brincadeira do cachorro.

– Geralmente, eu faço boas escolhas. Em tudo na minha vida. – Claire sorriu, olhou para Alex e piscou. Alex engoliu seco e entendeu a indireta. Ela colocou o bichano no chão e abriu o computador. – Você trouxe alguma coisa que tenha escrito?

– Na verdade, não. Mas tenho muitas coisas dentro da minha cabeça.

– Humm… Tudo bem. Vamos fazer assim. Você escreve sobre um tema e eu sobre outro, depois tentamos juntar as duas letras. O que acha? Pode ser divertido e sair coisas boas.

– Parece diferente. – Alex sorriu e Claire também.

– Eu gosto de algumas coisas diferentes mesmo, para não dizer que sou esquisita. – Eles deram risada. – Escreva aqui. – Ela lhe entregou o computador com um arquivo em branco aberto, para ele escrever. Olhou para ele segurando o computador sem saber muito bem o que fazer. – Escreva sobre liberdade. Qualquer coisa que vier à sua cabeça. Eu vou escrever sobre amor. Depois tentamos unir as letras.

– Liberdade… – Ele balançou a cabeça. – A liberdade é algo que sempre achamos que temos o suficiente, mas quando menos esperamos, somos surpreendidos pelas amarras da vida.

– Você pode colocar todas as amarras que quiser, na sua música. – Ela se levantou e passou a mão na cabeça dele, carinhosamente.

Pegou as duas taças de vinho e foi enchê-las novamente, acabando assim com aquela garrafa. Voltou para o sofá e colocou a taça de Alex na mesa e segurou a sua, bebendo em goles pequenos o vinho, enquanto ela observava Alex escrevendo palavra por palavra no seu computador.

Ela observava cada detalhe de seu rosto, o modo como ele mordia os lábios enquanto parava para pensar e como ele tamborilava os dedos no notebook, procurando pelas palavras certas a escrever.

Sentiu seu coração se aquecer por dentro ao pensar tudo de bom que estava esperando por Alex, num futuro bem próximo. Ela não queria dizer nada para ele, pois não era nada certo ainda, mas estava empenhada em começar a gravar seu cd o quanto antes. Sendo um artista contratado da gravadora, ela iria lutar para que ele tivesse o melhor salário possível.

Minutos depois ele entregou o computador de volta para ela e pegou sua taça de vinho.

– Veja se gosta. – Ele disse, bebendo o vinho.

– Não vou ver agora. – Ela salvou o arquivo e abriu um novo. – Quero ler depois, para não influenciar no que vou escrever. – E ela começou a digitar rápido tudo o que estava em sua mente.

Agora foi a vez dele de observá-la. Notou cada fio de cabelo que brilhava conforme ela mexia a cabeça levemente e também percebeu como seu tórax se mexia durante cada respiração. Ela tinha um sorriso nos lábios de quem sabia exatamente o que estava fazendo. Suas unhas estavam pintadas de vermelho escuro e ela também tinha o mesmo esmalte nas unhas dos pés.

Ele estava muito feliz de estar ali. Era como se Claire fosse um oásis dentro de sua vida atormentada e instável. Ela dava a ele esperança de dias melhores e mais do que isso, despertava um sentimento que ele jamais pensou que pudesse sentir na vida.

– Acho que terminei! – Claire declarou minutos depois, sorridente.

– O que fazemos agora?

– Vou ler sua letra e você lê a minha. – Ela começou a ler a letra dele e ao terminar, estava com um sorriso nos lábios. – Isso é lindo demais, Alex.

– Agora me deixe ler a sua. – Ela passou o computador para ele, que leu e também sorriu. – Sua letra é mais bonita. Você escreve muito bem, Claire. Deveria escrever mais.

– Meu ex namorado é compositor. Ele dizia que minhas letras eram alegres demais, coloridas demais, otimistas demais. Ele dizia que as pessoas gostavam de algo depressivo às vezes.

– Eu acho que seu ex namorado não entende nada de música. – Alex disse e os dois deram risada.

– Também acho isso às vezes. – Claire disse. – Bom, vamos ao que interessa…

Eles ficaram conversando e montando a letra de uma música que falava de como o amor verdadeiro pode libertar uma alma aprisionada pelas dificuldades da vida. Como o amor pode ser sim, tudo na vida de uma pessoa.

O resultado foi esse…

 

“Sinto o ar entrando em meus pulmões, com cheiro de sol

Agora posso ver o azul do céu, que sempre esteve ali

Meu olhar voltou a ter brilho, voltou a ter vida

Não falta mais nenhum pedaço, pois você trouxe

O pedaço que faltava para me completar.

 

Caminho pela ruas, sem destino e sem regras

Sei que posso fazer tudo o que sempre quis

Mas meu coração está repleto de você e quero que assim permaneça

Não quero voltar a sofrer, por isso, fique.

 

Quando estou ao seu lado, é como se o mundo parasse

Tudo faz sentido com você aqui

Mesmo que eu pudesse partir para qualquer lugar

Nada me faria mais feliz, do que te ver feliz

Quando estou ao seu lado, nada mais importa

É como se eu tivesse a opção de jogar tudo para o alto

Mas minha escolha sempre seria a mesma, a mesma sempre

Minha escolha é sempre você.

 

Escuto os pássaros cantando e os vejo voando

Voando despreocupadamente com suas asas bem abertas

Junto com as folhas de outono que colorem toda a paisagem

A brisa que passa por nós, apenas tenta nos deixar com frio

Mas temos o calor um do outro para nos aquecer.

 

Tudo que acontece tem sua razão, seu motivo

Mas nosso amor surgiu de onde jamais poderia ter sido esperado

E hoje vejo que não sei como consegui viver tanto tempo sozinho

Por isso eu só quero que fique, que fique comigo para sempre.”

 

Ao terminarem de montar e discutir a letra, eles leram tudo novamente. Se olharam e apenas sorriram. Eles sabiam que tinha criado algo muito especial, que com certeza iria tocar o coração de muitas pessoas, mas em especial, o coração que eles queriam tocar, era um do outro.

– Acho que criamos uma obra prima. – Disse Claire, ainda com os olhos na tela. – Eu não teria sido capaz de escrever algo tão lindo, sem você.

– Ahh, teria. A maior parte da letra é sua! Você é incrível escrevendo, Claire! – Alex estava sendo muito sincero, ele achava que ela deveria explorar mais esse dom. Mas pensou que ela, com certeza, já teve oportunidade e não aceitou. Ela deve ter suas razões para não fazer isso.

– Formamos uma dupla e tanto. Estou gostando disso. Estou gostando muito. – Claire levantou a cabeça e viu que o dia estava mudando para chuva. Era por volta das 16 horas. O tempo ao lado de Alex passava depressa demais. – Acho que vem chuva por aí. – Ela disse, ainda olhando para a janela.

– Sim. Com certeza. É melhor eu ir embora. – Ele disse, claramente não querendo atrapalhar ainda mais Claire.

– Mas hoje é sábado, Alex! Não trabalhe hoje. Fique. – Ela se deu conta de que falou uma das frases da bela música que haviam acabado de escrever e ele sorriu.

– Eu não quero atrapalhar mais. – Ele se levantou. – É melhor eu ir antes que a chuva caia.

– Você não atrapalha nunca, Alex! – Ela estava de coração partido ao ver que ele estava decidido a ir embora. – Olha, vou te fazer mais um convite. – Eles sorriram um para o outro. – Eu tenho certeza de que um dia, você vai me devolver todos esses convites, não é?

– Pode ter certeza. – Ele sorriu e ela se derreteu.

– Hoje de noite vou com uns amigos para um bar, que é karaokê também. Vai ser bem divertido e você pode cantar. O que acha? – Ela sorriu e ergueu as sobrancelhas, esperando pela resposta dele. – Estou te convidando, a bebida é por minha conta! Por favor!

– Tudo bem. Eu vou gostar de ir com você! – Ele estava desistindo de lutar contra o que estava sentindo e ele também tinha certeza, de que a partir do momento em que percebeu que estava se apaixonando por Claire, cada segundo ao lado dela, era essencial e especial.

– Então às 21h aqui. Você pode vir até aqui? Ainda não tenho carro para poder ir te buscar, mas estou providenciando. – Ela sorriu e ele balançou a cabeça.

– Estarei aqui às 21h. – Alex concordou.

Ela se levantou do sofá e pegou uma sacolinha que havia feito para ele, com frutas frescas e secas. Ele não sabia o que era porque estava bem fechado.

– Abra quando lhe der fome. – Ela piscou para ele e abriu a porta. – Vou te esperar, ok? Não me dê o cano.

– Estarei aqui mais tarde. Obrigado por tudo, Claire. – Eles se abraçaram forte e apertado, como sempre. Ele ainda estava cheirando banho tomado e ela adorou sentir aquele cheiro novamente.

– Minha escolha é sempre você! – Ela disse, ainda abraçada com ele. Se afastaram e ele não estava entendendo. – O nome da nossa música! Minha escolha é sempre você. – Ele sorriu e assentiu.

– Minha escolha é sempre você. – Ele repetiu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*