Dicas

Minha experiência voando com a Royal Air Maroc

Minha experiência voando com a Royal Air Maroc

 

Nessa viagem que fiz para Portugal, acabei optando por fazer uma ligeira zona na hora de comprar as passagens. Pela primeira vez, comprei uma passagem só de ida. É que acabei pegando a volta com milhas. O melhor valor para o dia que queria viajar, era pela Royal Air Maroc, a companhia aérea do Marrocos e pela primeira vez (novamente e espero que seja a primeira de muitas) acabei pisando em solo africano. Por apenas algumas horas, mas já foi emocionante estar lá.

Muita gente me perguntou como foi a experiência em voar com eles. Vou contar tudo aqui para vocês. Desde o atendimento no Brasil, até a chegada em Lisboa.

Na hora do check in, tudo normal. Você também precisa ter o cartão de embarque impresso para ir despachar a mala. Nada de diferente. Gostei do fato de eles terem separado as pessoas por letras, para que a entrada no avião não ficasse aglomerada. Foi mais organizado para achar o assento e principalmente, para guardar a bagagem de mão. Achei que a entrada foi eficiente e coerente.

Logo que entrei no avião e achei meu lugar, comecei a analisar o avião em si. A primeira coisa que me veio a cabeça foi “esse avião é bem pequeno comparado aos outros que estou acostumada com viagens longas”. E é mesmo menor. Na fila do meio tinham apenas 3 assentos. Era dividido em 3/3/3. Menos gente para ficar saindo, mas parece que isso dá menos estabilidade ao avião. Pelo menos foi o que senti durante o voo. O espaço entre as poltronas é de normal para apertadinho. Não achei espaçoso não.

Serviço de bordo foi bom. Nada excepcional. Comida estava boa e na hora do jantar vieram muitas opções para comer, especialmente de sobremesa. Um detalhe que me chamou atenção foi que não havia opções alcoólicas para as bebidas. Achei estranho, mas depois pensei que pudesse ser algo com relação à religião do país. Para aqueles que gostam de beber algumas taças de vinho para tentar dormir melhor no voo (tamo junto, pessoal), sua missão não poderá ser concluída com sucesso, infelizmente. Eles não passaram o carrinho do Free shop e não são de ficar mimando muitos os passageiros. No geral, é um serviço ok.

Ah! Foi bem diferente entrar em um avião que estava tocando música cantada em árabe (hahahaha). O idioma principal deles é sim o árabe e depois o francês, mas todos falam inglês e alguns também se arriscavam no português. Achei bacana. A duração do voo até Casablanca, onde pode ser o destino final ou apenas para conexão, é de aproximadamente 8 horas. Então, contando jantar e serviço de café da manhã (ou almoço e café da tarde, depende do horário que estiver voando), não sobra muito tempo para dormir e/ou descansar. E o tempo de voo passa rapidinho.

Um fato que quero relatar, mas não sei como (terei que ser cuidadosa para não parecer preconceituosa ou algo do tipo) é que havia um cheiro muito forte no avião em geral. Cheiro de suor. Não que o avião fosse sujo, muito pelo contrário, era tudo muito limpo (mais limpo do que tantos outros vôos que já peguei), mas havia um cheiro. Não acho que era uma pessoa específica, pois não senti o cheiro vindo de ninguém, nem de passageiros e muito menos da tripulação, mas tinha um cheiro, no ar mesmo. Meu olfato é muito apurado (assim como meus outros sentidos) e isso me incomodou um pouco durante o vôo todo. Aquela sensação de estar com o nariz ardendo por conta de algum cheiro, sabe?!

Chegando à Casablanca, passamos por uma “imigração de conexão”, onde dois homens sem uniformes e mal encarados estavam conferindo nossos passaportes e tickets de viagem. Eles olhavam para a cara de todo mundo, analisavam e então deixavam ir. Fiquei meio com medo deles (hahahaha). Mas o aeroporto é ok. Organizado, pensei que seria uma zona, mas foi fácil de achar a área de conexão e entender como funcionava. A música árabe continuava e várias pessoas estavam rezando em seus panos esticados no chão. A religião para eles é levada muito a sério.

No avião para Lisboa, eles ofereceram mais um lanche (isso que já tínhamos comido o jantar e o café da manhã no outro voo) com bebidas e acompanhamentos em geral. Bem bacana, pois a maior parte das companhias áreas, agora oferecem lanches pagos. Achei interessante e gentil da parte deles, sendo que o voo para Lisboa é bem rápido (no voo pela British de Lisboa para Londres, não ofereceram nem água pra quem estava lá). Chegada tranquila em Lisboa e fim dos serviços da Royal Air Maroc. Pensando numa nota de 0 a 10, eu daria 8,5 para os serviços e 7 para a estrutura do avião.

No geral, vale a pena conhecer os serviços da Royal Air Maroc, pois seus valores são bem mais baixos (pelo menos durante as pesquisas que eu fiz) comparados com as companhias europeias ou até mesmo as nacionais. Como eles não possuem muitos voos saindo do Brasil, talvez você não encontre a opção de voar com eles sempre. Mas fique de olho quando for pesquisar. Geralmente eles são sim os voos mais em conta.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*