Cinema

Locações do episódio “Crocodile” de Black Mirror

Locações do episódio “Crocodile” de Black Mirror

 

Atenção! Contém spoilers! Se você ainda não assistiu e não quer saber o que acontece, não leia esse texto. =) CONTÉM SPOILERS! CONTÉM SPOILERS! CONTÉM SPOILERS! (Escrevi assim para ninguém vir me encher o saco depois, ok?! Hahahaha!)

Pois bem. Essa série veio para mudar o que eu pensava sobre o assunto. As únicas coisas que eu gostava de assistir eram histórias de reis e rainhas que realmente aconteceram, como a série que eu amo The Tudors. Nem sou muito fã de ficção científica, mas o namorado adora e ele começou a assistir Black Mirror, e eu fui no embalo. Resultado? Fiquei doida com a série! Tanto que assim que saiu a quarta temporada, já assistimos tudo.

A série sempre passa em um futuro cheio de tecnologia e coisas que eu realmente acho que vão acontecer. Muitas delas estão mais perto do que imaginamos. Mas hoje quero falar sobre um episódio em especial, que me chamou muito a atenção. Pela história (que me fez ter pesadelos) e pelas locações que usaram para ser gravado. O episódio se chama Crocodile, é o terceiro da quarta temporada de Black Mirror.

O país usado para ser o cenário de Crocodile, foi a Islândia. Na verdade, acho que até isso é uma bela metáfora que o roteirista usou, pois a personagem do episódio é tão fria quanto o país. Mas uma coisa jamais poderemos negar. Mesmo a história sendo horrível (pelo fato de ser violenta), as locações são lindas. Vou colocar bastante foto para vocês verem aqui, pois realmente vale a pena.

Vou tentar resumir a história. Um casal de jovens, depois de uma noite de bebedeira e drogas, pegam o carro para ir para casa. No caminho, atropelam e matam um ciclista. Decidem não chamar a polícia e preferem ocultar o corpo num lago frio ao lado da estrada. Anos depois, a Mia está casada, com filho e bem sucedida no trabalho como arquiteta. O ex a procura dizendo que vai contar a história para a polícia. Ela o mata, simplesmente. Fria como o gelo. Só que nesse mesmo momento, aconteceu um acidente na rua do hotel que ela estava hospedada e uma agente de seguros começa a investigar o acidente com um programa que faz com que a memória da pessoa passe em uma tela como se fosse televisão.

Resumindo, a agente chega até ela e Mia não consegue controlar os seus pensamentos. Resultado, ela vai precisar matar a agente de seguros para que ela não conte nada. E mata. Mas não para por aí. Ela vai até o marido da mulher e o mata também. Não satisfeita, ela mata até o filho do casal. Tudo isso para que ninguém tenha a memória investigada. Mas ela se esqueceu do porquinho da índia e com a memória dele, chegam até a louca assassina. Ainda bem, porque ela saiu forte da casinha e estava descontrolada.

Mas não é só sobre o episódio que quero falar. Quero falar mesmo sobre a Islândia. É um país que está siiiim na minha lista, mesmo ele sendo muito frio e eu sofrer demais com isso (sou uma pessoa que sente muito frio sempre). A Islândia é um país lindo, não é à toa que diversos filmes escolheram as paisagens do país como seus cenários, incluindo o Black Mirror, da Netflix. Mas… O que tem para fazer na Islândia?

O Ale viajou para lá em Janeiro de 2016 e conheço outras pessoas que já foram para lá e se apaixonaram. Ele foi no inverno e pegou temperaturas como -20 graus e até menos (hahahaha eu namoro um maluco). Mas ele fez vários passeios e roubei várias fotos dele para mostrar postar aqui e contar tudinho para vocês. Além de outras informações preciosas. Anotem tudo. Bom… anotem do jeito que der, porque o idioma é bem difícil de entender e até de escrever (hahahaha)

– Jökulsárlón

É um lago glacial que fica localizado no glaciar Vatnajökull, que fica perto da praia de areia negra (vou falar dela ali embaixo). A área tem 18km2 e o lago chega a ter 284m de profundidade em alguns pontos. Ele recebe blocos de gelo (icebergs) provenientes do glaciar onde está localizado. Lugar lindo demais.

– Cidade de Reykjavík

É a capital do país, cidade linda e onde se concentra o maior número de habitante e também a maior parte da estrutura social e econômica do país. Por sua localização geográfica, é a capital mais setentrional do mundo (aquela que fica mais ao extremo, quase chegando nos polos). Durante o inverno, os dias costumam durar apenas 4 horas.

– Blue Lagoon

Muita gente visita s Islândia por causa desse lugar. O Blue Lagoon, ou Lagoa Azul, é um spa termal e com certeza, um dos lugares mais visitados do país. Fica a apenas 39km da capital Reykjavík e muita gente vai até lá acreditando nas propriedades medicinais das águas da Blue Lagoon. A água rica em sílica tem temperatura que varia de 37 a 39oC.

– Aurora Boreal

Existem alguns fatores para que se tenha a Aurora Boreal no céu. O céu precisa estar limpo, sem chuva, mas o local precisa ser frio e mais ao norte do globo terrestre, lá pros lados do polo norte mesmo. A Islândia é um dos lugares onde podemos ver mais fácil esse fenômeno, mas nem sempre se consegue. Como o Ale foi no inverno e estava nevando demais, ele não conseguiu ver. Então, ir em épocas de “calor” é mais fácil.

– Gullfoss

É uma queda de água que fica na parte sul do país, ficando a uns 100km da capital. Tem 32m de altura e 70m de largura, transportando água do rio Hvítá, proveniente do glaciar Langjökull. É uma das atrações turísticas principais do país.

– Catedral Hallgrímkirkja

É uma igreja que está localizada na capital Reykjavík, sendo igreja luterana da Igreja Nacional da Islândia. Tem 74,5m de altura, sendo a mais alta do país e a sexta estrutura mais alta do mundo. Uma curiosidade é que seu desenho foi criado para imitar o movimento que a lava do vulcão faz. E de lá, temos uma vista linda da cidade.

– Praia de Reynisfjara (praia preta)

É aquela praia que tem ondas enormes e areia preta, que fica ao sul da ilha também. É um dos lugares mais bonitos da Islândia, algumas fotos que se tiram parecem p&b mas são coloridas. Uma paisagem selvagem e maravilhosa ao mesmo tempo. Praticamente intocada.

– Vulcão Eyjafjallajökull

É um dos menores glaciares da Islândia, porém a sua bacia cobre um vulcão de 1666m de altura. A cratera desse vulcão tem de 3 a 4km de diâmetro. O vulcão entrou em erupção em 2010, provocando uma enorme cortina de fumaça prejudicando boa parte do tráfego aéreo da Europa (acho que todo mundo se lembra).

Outra coisa que lembrei é que o filme “Vida Secreta de Walter Mitty” teve várias cenas gravadas lá na Iceland. Então, não é só o Black Mirror que escolhe destinos exóticos para gravar seus episódios. Aliás, as locações do Black Mirror são sempre bem bacanas. Logo faço mais alguns textos para contar sobre esses lugares.

Tem muitas outras atrações que não citei aqui. Muitas outras. Mas tive que escolher poucas, para deixar todo mundo com ainda mais vontade de conhecer esse país super diferente e intrigante. Uma dica importante é separar a visita à Blue Lagoon na ida ou na volta do aeroporto, pois fica bem no caminho. Reserve pelo menos 3 horas para conhecer o local.

Viu só?! O turismo na Islândia é demais. Além disso, é um dos países mais seguro do mundo (se não for o mais) e uma curiosidade bacana sobre a Islândia, é que toda a energia deles provém de energia dos vulcões, da temperatura que os vulcões produzem. Bacana, né?! Outra coisa interessante, é que o país é completamente diferente no inverno e no verão. No inverno, por conta da quantidade absurda de neve, melhor não se aventurar pelas estradas sem guias. Mas no verão até dá para fazer isso. Ah! E não espere esportes de inverno por lá, como esqui, pois isso não tem lá.

Demais! Esse país é lindo. Eu ainda não conheço, mas estou louca para conhecer. E já sei quem vai ser o meu guia nessa viagem! O namorado, que me deu todas as dicas que estão contidas nesse texto. Na verdade ele deu muito mais, mas se escrevesse tudo, o texto ficaria enorme. Obrigada pela ajuda, my love! <3

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*