Rocktrip

Guns ‘n Roses em SP

Nem sei muito bem como começar a escrever esse artigo. Quero tentar explicar o que foi esse show, mas tenho medo de não conseguir passar em palavras, o que senti na pele e no coração. Para tentar, vou escrever escutando as duas músicas mais lindas que eles tocaram no show (e as que eu mais amo da banda), “November Rain” e “Estranged”. Chorei rios em ambas. Enfim…

Para começar, devo contar que a banda foi criada no ano de 1985 em Los Angeles, nos Estados Unidos. Uma banda de hard rock que faz parte daquele time maravilhoso de bandas nesse estilo que surgiram nessa década.

Bom, cresci escutando essa banda e muitas outras por causa dos meus irmãos, principalmente do mais velho (que até hoje vai nos rocks da vida comigo e que foi comigo nesse show também). Mas Guns foi uma banda que me marcou muito, gostava das músicas, pirava nos clips, adorava ver o Slash tocando guitarra com aquelas poses que ele fazia e o Axl dançando feito minhoca com dor de barriga. Isso estou falando de algo entre 7 e 8 anos de idade ou talvez menos. Aos 5 eu já era louca por Bon Jovi e por toda a trilha sonora do filme Top Gun.

Ver essa banda tocando ao vivo, foi emocionante. Essa palavra é linda, mas ainda é pouco para explicar. Foi o melhor show da minha vida. A sensação de ver ali, uma das bandas que fez parte da sua formação como pessoa, é algo indescritível. Aí, me fez ter uma bela reflexão… Graças a Deus que não vivi na década de 70 para ver meus favoritos da vida em plena forma. Ainda bem que os meus favoritos ou já morreram ou não existem mais. Meu coração não iria aguentar os primeiros acordes da guitarra do Hendrix ou do Page, ou as primeiras palavras do Jim Morrison ou da Janis Joplin cantando.

Axl Rose, Slash e Duff são os remanescentes da formação original da banda e eles continuam em forma. Bom, o Axl já não é tão magrelo, mas o cabelo do Slash continua o mesmo e o Duff… O Duff… Eu iria! Que gato! Ops, desculpa, mas eu precisava falar isso. Duff é demais! (Hahahahaha!)

Eles já começaram o show com uma voadora no lustre, tocando a música “It’s So Easy” que eu aaaamo! Um sucesso atrás do outro. Mas logo nessa primeira música, eu quase não acreditava que estava assistindo aquele show. Chorei de emoção, chorei de alegria, fiquei com a bochecha doente de tanto de sorrir, chorei de novo, comecei a ficar rouca, meus joelhos começaram a doer de tanto pular, começou a chover, chorei mais um pouco, cantei o mais alto que conseguia… Resumindo!

Momento poético do show: eles tocaram “November Rain” num dia de novembro (eu fui ao show do dia 12) e estava chovendo mesmo. Foi lindo e foi a música que eu mais chorei. A letra dessa canção toca bem lá no fundinho do meu coração (que não é de pedra, como meus amigos teimam em dizer). Foi lindo! Foi maravilhoso!

Eles tocaram todas as músicas que os fãs estavam esperando. Sweet Child O’ Mine, Welcome to the Jungle, You Could be Mine (foi aqui que comecei a ferrar meu joelho, de taaanto que pulei), Live and Let Die, Estranged (mas o que eu chorei nessa, para, que música maravilhosa e pra mim, um dos melhores trabalhos do Slash com a guitarra, um som delicado que nos emociona muito, perde somente para November Rain) Civil War, Nightrain, Mr. Brownstone, etc. No dia do show que eu fui, eles cantaram Patience, no show do dia anterior, eles tocaram Don’t Cry. Eles nunca tocam as duas num mesmo show. Eu acho besteira! Queria escutar todas e todas! E finalizaram, obviamente, com Paradise City, com direito ao Slash tocar os solos com a guitarra nas costas, literalmente!

A energia de shows é sempre muito boa, porque todo mundo tá ali para curtir a banda, escutar boa música e se apaixonar um pouco mais pelo seu artista favorito (ou não). Eu amo ir aos shows por isso também. Todo mundo numa vibe maravilhosa e curtindo de verdade. Nesse show, não foi diferente. Quando ele tocou Patience… O estádio inteiro cantando. Certeza que não havia uma só pessoa sem cantar. Foi lindo demais e me arrepia só de lembrar!

Aliás, o show foi no estádio da Peppa Pig. Ops, me desculpem. No estádio Allianz Park, do Palmeiras (que foi campeão brasileiro esse ano, meus parabéns, agora só falta o mundial).

Nem tenho muito mais o que dizer. Não fiquei num lugar bom para fotos, por isso peço desculpas pela baixa qualidade e aí tem fotos misturadas com as da minha amiga que estava comigo no show.
Aliás, eu estava com meu irmão e mais duas amigas, a Lili e a Roberta. Foi demais, pessoal! Obrigada pela ótima companhia.

Espero que eles voltem logo para cá, porque eu já estou com saudade. Desejo toda a saúde do mundo para eles, que continuem nos emocionando e bem que eles poderiam gravar um cd de inéditas, né?! Já pensou que demais que seria? =D

Seus lindos, obrigada pelo show maravilhoso!
Essa banda é muito FO#@@@@@!

PS: fotos da internet e do super celular da Roberta! <3

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*