Dicas

Festival Gastronômico de Monte Verde

Festival Gastronômico de Monte Verde
Pois bem, minha gente querida! Cá estou, novamente para falar sobre essa cidade que eu sou completamente apaixonada (e que se eu pudesse moraria lá), cidade linda e cheia de coisas boas para fazer e conhecer. Obviamente estou falando de Monte Verde. Mas hoje quero contar que mês que vem (do dia 18 a 29 de outubro), teremos o Festival Gastronômico de Monte Verde. Em sua 8ª edição, o festival está cada vez maior. Ai, que emoção contar tudinho (inho inho) para vocês se programarem e irem aproveitar.
Mas não se trata somente de comilança. Todos os dias, terão eventos, palestras e várias aulas para quem quiser participar, sempre falando sobre gastronomia. Para quem não sabe, Monte Verde é uma cidade fortíssima em gastronomia, com muuuuitos restaurantes fantásticos para a gente se perder na hora de escolher (o bom mesmo, é fazer uma lista de prioridades por seus gostos e ir fundo).
Tanta gente incrível que está por trás desse festival, que nem sei por onde começar a contar! Mas, vou contar sobre os que eu vivenciei nessa minha última viagem para lá. Só lembrar de todos os sabores que conhecemos, me dá água na boca. Aguentem firme aí, pois as fotos são pornografia gastronômica pura! =D
– Garagem Vemaguet
Esse foi novidade para mim, pois não conhecia. Adorei o ambiente e especialmente, a trilha sonora! O restaurante está com um prato especial para o festival que se chama SP2 Turbinado. É costelinha suína regada ao molho de vinho que acompanha um risoto de abobrinha. Nem preciso falar que estava maravilhoso, né?! Eu adorei o contraste de texturas na boca, adorei as combinações de sabores. Estava incrível.
Avenida Monte Verde, 653.

– Mistral Verde
O pessoal da Mistral Verde é um antigo conhecido de quem me acompanha aqui no blog. Sempre que eu falo sobre vinhos e Monte Verde, impossível surgir outro nome na cabeça. Eles são demais! Os meninos da Mistral manjam muuuuito de vinhos e sempre que vou lá, fico besta com tanta sabedoria “enologística” (hahahaha) que eles possuem. Mas, para o festival, eles estão com uma linha de vinhos mineiros que é maravilhosa. A vinícola se chama Luiz Porto e eles fabricam diversos vinhos (em linhas mais acessíveis e outra linha mais premium), mas o vinho escolhido para o festival, é o Luiz Porto Cabernet Sauvignon de safra 2013. Provei e é um excelente vinho, foi uma ótima escolha.
Rua Rolinha, 33. Loja 2.

– A Casa do Fondue
Era um restaurante que eu estava louca para conhecer e não havia tido oportunidade. Daqueles para a gente ir e sair rolando de tanto comer e beber. A Casa do Fondue possui diversos tipos de fondue (carne, queijo, doces, etc), mas para o festival eles estão com o Consumê ao Vinho. Perfeito para aquelas noites de frio… Ou não! O restaurante é atemporal, fondue é atemporal. Todo dia é dia e no festival de Monte Verde ele não poderia faltar. Afinal, fondue com montanha super combina.
Rua Rolinha, 71.

– Manduca
Eis um lugar que foi uma grata surpresa, pois nem imaginava que existia algo assim lá em Monte Verde. Estou falando do Manduca. Fica num sítio fofo, bem perto do centro de Monte Verde e podemos conhecer o processo de fabricação dos embutidos. O Manduca produz embutidos artesanais e produtos defumados para ser mais exata. Mas não tem só elementos defumados, eles estão produzindo até hambúrgueres. Basicamente, as melhores partes do porco defumadas. No caso, para o festival, eles estão trabalhando com quatro produtos. Bacon (nhaaaaammm), joelho defumado sem osso, linguiça calabresa defumada e linguiça fresca artesanal. Tudo que eu provei, estava perfeito e harmonizando muito bem com esse pessoal que vou falar aqui embaixo…
Rua do Selado, 600.

– Arsenal da Cerveja
Outro velho conhecido do blog, pois (novamente) os meninos sabem tuuudo sobre cerveja. Eles fizeram uma harmonização com os embutidos que foi de cair o queixo. Teve até cerveja da Jamaica (me desculpe o espanto para aqueles que já conheciam, mas eu realmente nunca havia tomado uma cerveja jamaicana). Eu sou a louca da harmonização (e nada boba) e fiquei maluquinha com todos aqueles sabores explodindo na boca. Adorei. Para o festival, eles estão trabalhando com uma cerveja belga premiada chamada Wäls Dubbel.
Avenida Monte Verde, 858.

– Villa Amarela
Outro restaurante que eu não conhecia, mas estava na minha lista. O Villa Amarela fica bem perto da entrada principal da cidade e não tem como errar, lá é mesmo amarelinho. Eles possuem vários pratos bacanas no cardápio. Mas o prato que está participando do festival é o Leitão Pururuca. O prato é composto pelo leitão pururuca (deeerr), arroz, banana empanada, ovos, tutu de feijão, calabresa e couve refogada. Quer prato mais típico de Minas Gerais? Quer prato mais mineiro? Difícil.
Avenida da Fazenda, 10.

– Geléias Edelweiss
Ouunnn! Esse lugar foi outra novidade na minha vida de exploradora de Monte Verde, pois eu neeem imaginava que pudesse encontrar algo assim por aí, dando sopa para a gente ir visitar (na verdade, o lugar não dá sopa, nós é que demos sorte de ter tido o privilégio de conhecer). O senhor Edmundo é um espanhol que fala com sotaque ainda, já morou em diversos lugares do mundo, mas escolheu Monte Verde para realizar o sonho de cozinhar profissionalmente. Ele era cientista e trabalhou até na ONU. Hoje, aposentado, ele produz com a ajuda de sua mulher, 16 sabores de geleias, doces de corte (aqueles mais durinhos que não desmancham fácil) e um licor de cachaça, mel, limão e gengibre. Uma delícia deliciosa da vida. Para o festival ele está com dois produtos, o doce de corte de physalis e a geleia de morango, que já um clássico.
Avenida Monte Verde, 856.

– Villa Donna Bistrô
Esse sim vocês podem falar à vontade que já viram aos montes aqui no blog. Cada vez que eu piso no Villa Donna é um motivo para fotografar e postar aqui. O restaurante é tão bom, que eu não me canso nuuunca de falar sobre lá. A tia Sônia nunca nos decepciona e para o festival ela criou um prato de Gnocchi de batata da terra frito com molho de tomate e ragu com quatro tipos de carnes. Nem preciso falar que ficou divino, né?! E o Villa Donna segue no pódio dos meus restaurantes favoritos na vida. Parada mais que obrigatória quando estiver por Monte Verde e quiser ter uma prova de que a gastronomia da cidade é realmente fantástica e inesquecível. Amo demais! <3
Rua Rolinha, 33.

– Fazenda Pica Pau
Essa fazenda… Já começamos com a perfeição sabendo que o celular não pega direito por lá. Segundo, que vocês não têm ideia do que encontramos nessa fazenda! Azeites de primeiríssima qualidade feitos por eles e vinagre de framboesa. Fora a linda plantação de oliveiras. Uma mais linda que a outra e cada tipo de árvore, produz um tipo de azeite. Obviamente não vou me lembrar do nome de cada azeite, mas colocamos apelidos que não posso contar. Além do silêncio e clima de roça. Perfeito para ir e não ter hora para sair. Para o festival eles estão trabalhando com dois produtos. O Azeite e o Vinagra de framboesa. Vale a pena provar tudo de tudo para chegar à suas próprias conclusões. Essa fazenda foi um lugar novo maravilhoso.
Caixa Postal – 74.

Bom, isso foi o que eu consegui aproveitar durante 3 dias que fiquei na cidade a convite da Melhoramentos e logo mais vou postar sobre o hotel que fiquei e outras coisinhas que quero contar. Por enquanto, deliciem-se com as fotos (eu avisei que estavam pornográficas hahaha) e abaixo segue a lista dos eventos dia a dia durante o festival. Aproveite!

18/10: oficina “Delícias de Polvilho” com a equipe de Conceição dos Ouros às 14:30.
19/10: Oficina sobre PANCs, com chefs Juliano e Fernando Basile de Gonçalves às 14:30.
20/10: aula prática sobre pães com Carlinhos e Gleice e sobre bolos com Alessandra Lippi às 14:30.
21/10: oficina “Sabores da Serra: Mergulho no Pirão” com o chef Heyttor Barsalini às 14:30.
22/10: Palestra harmonizada com o sommelier Alexandre Levi da Mistral Verde às 14:30.
23/10: oficina “Comidas da Serra” com os chefs Sonia Kohen, Thiago Blanes e Cida Lemos às 14:30.
24/10: atividade infantil “Paçoca de São João” com Tiago Mentor às 09h e as 14:30 palestra harmonizada com o beer sommelier Rafael dos Santos, na Arsenal da Cerveja.
25/10: oficina Saudavelmente Requintado com a chef Graziela Coutinho às 14:30.
26/10: oficina com o chef Ari Kespers e convidados às 14:30.
27/10: oficina com a empresa Catupiry às 14:30.
28/10: atividade infantil com Guinho às 10h. Às 14:30 oficina “Sabores da Serra, fondue e racletes” com o chef Breno Lerner.

29/10: oficina com Fernando Tadeu do Canal Rango de SP, às 14:30.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*