América

Dinheiro e Santiago do Chile: moedas, dicas e dúvidas 

Dinheiro e Santiago do Chile: moedas, dicas e dúvidas

 

Antes de embarcar para algum lugar pela primeira vez, é importante demais deixar a questão financeira bem clara. Questão de moeda, conversões, compras e valores gerais que encontraremos na viagem. Não sou uma pessoa que costuma torrar rios de dinheiro em compras quando estou viajando, mas é sempre bacana trazer umas lembrancinhas e artigos locais para casa. Por isso, é sempre importante avaliar e estudar tudo sobre isso, para que não haja surpresas desagradáveis na hora de pagar as contas.

Para essa viagem ao Chile, não foi diferente. Pesquisei bastante e conversei com pessoas sobre o assunto, afinal, fazer nosso rico dinheirinho render enquanto estamos viajando (e até voltar com alguns créditos na carteira) é bem importante. Organização é tudo nesses casos. Vou resumir tudo para vocês aqui nesse post.

Qual moeda levar para o Chile?

Bom, o Real ainda é bem valorizado no Chile e eles aceitam numa boa nas casas de câmbio. Se você tiver dólar, que tenha comprado com taxas baixas e numa cotação boa, vai vale mais a pena. Mas comprar dólares agora, pagar as taxas e levar tudo isso para lá para trocar de novo, não vai valer a pena. Nesses casos, o Real é a melhor opção.

Não compre os pesos chilenos aqui no Brasil, pois a cotação é ridícula e as taxas também. O mesmo vale para fazer o câmbio no aeroporto. Só troque dinheiro no aeroporto caso realmente precise. Do contrário, guarde seu dinheiro para fazer o câmbio no centro de Santiago, pela rua Augustina. Seu dinheiro vai render mais com toda certeza. E não se empolgue pelo fato do peso chileno valer muito menos que o Real. Na hora de fazer as conversões, os valores que pagamos lá, são bem parecidos com os daqui do Brasil.

Vale a pena fazer compras no Chile?

Depende. Marcas que existem aqui no Brasil, não vale a pena comprar. Porque aqui podemos parcelar e lá não se parcela cartão de fora. Para marcas que existem só lá fora, como a Falabella ou a Rapsódia, aí sim vale. Neste caso, vale a pena usar o cartão, pois as taxas de conversão acabam sendo bem parecidas com as do cartão e podemos ter a sorte de ter o câmbio mais baixo no dia do fechamento da fatura.

Mas o que realmente vale a pena trazer na mala lá do Chile, são os vinhos. Sim, isso é o que mais a vale a pena, de longe. Trouxe vinhos que mesmo fazendo a conversão, ele saia menos da metade do que eu pagaria aqui. Vinhos bons, top de linha, por menos de 100 reais e aqui no Brasil ele seria por volta de 300. Como nosso país taxa demais as bebidas, quando viajamos é um bom negócio trazer algumas garrafas na mala.

Dica para aqueles que querem estar isentos dos 19% IVA (que é um imposto sobre o valor agregado, no caso, é como se fosse o ICMS deles) na hora de pagar suas diárias de hotel, é necessário realizar esse pagamento em dólar ou com cartão de crédito internacional. Essa isenção é realizada para turistas brasileiros que vão ficar menos de 60 dias no país. Portanto, não pague suas diárias no peso chileno, pois não vale a pena. Tudo ficará 19% mais caro. Não pense que fica mais caro pagar com dólar. A cotação usada nessa conversão é a oficial.

Quais são as dicas para fazer uma conversão vantajosa na hora de trocar meu dinheiro para pesos chilenos?

Pense um pouco. Não vai adiantar muita coisa você não querer os quase 7% de taxa do cartão e pegar uma cotação 10 ou 15% abaixo da oficial. Para fazer um câmbio bom para seu bolso, vá até o centro de Santiago e faça a compra lá. ou na Calle Augustina (como mencionei ali em cima) ou na Av. Pedro de Valdivia. Fazendo isso, você estará obtendo a maior cotação possível dentre as casas de câmbio. Outra dica, é para que vá logo cedo, quando todas estão abertas. Caso vá no final do dia, as casas que ainda estiverem abertas, poderão colocar a cotação que quiserem em cima disso.

Caso não consiga levar muito dinheiro vivo para fazer esse câmbio ou caso não tenha disponibilidade de ir até essas ruas que mencionei que ficam no centro de Santiago, use sem medo seu cartão de crédito ou cartão pré pago de viagem. Será muito melhor do que pegar uma cotação ruim e baixa para seu dinheiro, só para ter dinheiro na mão. No final das contas, não vai valer muito a pena.

Fique de olho nas melhores e piores épocas para levar o real até o Chile e conseguir uma cotação boa. Durante os meses de verão, conseguimos valores melhores, pois os chilenos estão vindo ao Brasil para passar férias. Durante os meses de inverno, como o fluxo de turistas brasileiros atrás de neve é enorme, o valor do real cai um pouco. Fora de Santiago o real não tem um bom valor de mercado (em locais como Atacama, Patagônia, etc). Portanto, para esses lugares, leve em dólares e use seu cartão.

Espero ter sanado as dúvidas que vocês possuem com relação ao peso chileno. Eu estava com essas mesmas dúvidas antes de viajar e deu tudo certo, até alguns erros. Como disse lá em cima, não se iluda com os valores do peso chileno, pois no final das contas, poucas coisas saem mais baratas e algumas, saem até mais caras que aqui no Brasil. Temos que ficar de olho.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*