Europa

Cidades Suíças e suas particularidades – Parte 1

Cidades Suíças e suas particularidades – Parte

 

Muita gente me pede dicas sobre a Suíça, pois é um destino que não tem tantos guias para se comprar. Por mais que muita gente viaje para lá, ainda existem dúvidas quanto as cidades, quanto as dicas, culturas, etc. A Suíça é um país lindo, que merece sua visita, mas esteja preparado para o que vai encontrar por lá. Não é um país barato, mas vale cada centavo de franco que gastamos estando lá. Vou fazer uma série de posts contando um pouco sobre minhas experiências nas 3 vezes que estive no país. Espero ajudar todos que querem viajar para lá.

– Genebra

Cidade fria, feita para empresas, negócios e bancos. A maior parte das pessoas que você vê por ali, é apenas para trabalho. Elas moram nas cidades ao redor de Genebra que são mais bonitas, menores e mais baratas. Mas a cidade possui diversos restaurantes bons e bons hotéis. Se gosta de comida japonesa o Izumi é 5 estrelas. Se gosta mais no estilo bistrô, o Bistrot du Boeuf Rouge vale muito a pena. Caminhar ao redor do lago, fotografar o Jet D’eau e começar a comer chocolate. Se gosta de museus, recomendo o Museu de Arte e História e o Museu da grife de relógios (uma das mais caras do mundo) Patek Philippe. E não deixe de já começar a comer muito chocolate, caso essa seja sua primeira parada no país.

– Lausanne

Uma cidade que eu amo. Linda, acolhedora e com muita coisa para ver. Comece pela catedral da cidade e não deixe de ver o túmulo de um cavaleiro templário que tem dentro dessa catedral. De lá, terá uma bela vista do lago Le Mans e da cidade. Caminhe pelo lago, não deixe de visitar o Museu Olímpico, comer fondue no Petit Chalet Suisse (que fica no alto de uma montanha e é a verdadeira experiência do fondue na Suíça) e no Café de L’eveche (que é um dos restaurantes mais antigos da cidade). Se quiser ostentar, o La Table d’Edgard fica dentro do Lausanne Palace e é simplesmente incrível (ficamos hospedados nesse hotel e provamos alguns dos restaurantes, esse é o mais top).

– Interlaken

Uma região da Suíça que mora no meu coração. A primeira vez que fui, fiquei em um hostel chamado Balmer’s. Foi demais. Mas eu era mais nova e queria bagunça. O bacana de lá, são as paisagens. Interlaken não é uma grande cidade. Lá você encontra as vaquinhas com sinos no pescoço, pessoas mais idosas e é muito de interior. Um dos pores do sol mais lindo que já vi na vida. Fica entre dois lagos, o Turn e o Brienz. O pôr do sol você vê no lago Turn, vale a pena porque ninguém vai até lá (eu estava sozinha quando fui, não havia mais ninguém). Para quem gosta dos esportes radicais, lá tem paragliding, salto de paraquedas, bungee jump, jump canyon, mergulhos, trekking e muito mais. Por conta disso, a cidade atrai muitos jovens que querem praticar esses esportes. A cidade também serve como ponto de partida para os passeios que levam até a região do Jungfrau e dos alpes Berneses.

– Berna

A capital do país, mas nem por isso é a cidade mais visitada ou mais importante. A oferta de restaurantes é alta. Vale a pena conhecer o Kornhauskeller (que tem um ambiente incrivelmente lindo e comida boa), o Restaurant Le Lötschberg (que é mais despojadão e tem cara de cantina italiana moderna) e o Gourmanderie Moléson (que serve bons pratos com frutos do mar, ostras e mariscos). Vá ao Museu Histórico de Berna e para quem gosta de coisas diferentes e de ciência, vá conhecer o Eisnteinhaus que conta a história desse gênio cientista que o mundo todo conhece. As paisagens que se formam ao redor do Rio Aar, são encantadoras.

– Basel

Cidade onde nasceu o graaande tenista (e meu amor) Roger Federer. Mas a cidade vai além do tênis (por mais que tenha anualmente o ATP 250 de Basel). A cidade é linda, principalmente na região perto do Rio Reno. Faz fronteira com a Alemanha e com a França. Muita gente considera Basel como a capital da cultura na Suíça, porque a cidade tem mais de 40 museus. Os dois principais acredito que sejam o Kunstmuseum (Museu das Artes) e o Antikenmuseum (Museu das Antiguidades). O restaurante mais top que conheci lá com certeza é o Restaurant Krafft Basel. Ambiente lindo e chef de primeira linha.

– Lucerna

Aahh! Uma cidade grande, com lojas caras, muitos carros e hotéis de luxo. Porém, eles conseguem manter uma parte da cidade intocada pela modernidade e com todo aquele ar medieval. O cartão postal da cidade é a Kapelbrücke que foi construída nos anos de 1300, em madeira e toda coberta. Para comer, fomos no La Bone Cave e tomamos um vinho armênio (pasme, era maravilhoso, feito de uma uva armênia chamada Areni) e comemos fondue. Também fomos em outros lugares por ali mesmo como o Rathaus Brauerei (que tem boas cervejas) e a Brasserie Bodu. Mas quando fomos estava frio, muita gente fuma dentro dos lugares, já aviso isso para não se assustarem. É muito incomodo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*