Dicas de Gastronomia

Chez Vous. Um pedaço da Bélgica em São Paulo

Outro dia eu fui conhecer um restaurante aqui em São Paulo, que toda a experiência gastronômica que eles oferecem, me deixou de queixo caído. Quanto mais conheço sobre os restaurantes, bares e toda a cena gastronômica de São Paulo, mais apaixonada por isso fico. E hoje quero contar a vocês, como foi minha visita ao restaurante Chez Vous, que é realmente um pedacinho da Bélgica, direto para o coração do bairro de Moema.
O mês de agosto, foi o mês da cerveja, e até esse final de semana, eles estão com um cardápio de matar com combos de pratos com a cerveja perfeita para harmonizar. É um menu degustação (sem valores fechado, você pode provar todos ou escolher os pratos que quiser comer) com harmonização, só que de cerveja! Demais, né?! Foi a primeira vez que fiz isso e fiquei completamente enlouquecida com todos os sabores e harmonizações perfeitas.

Mas não é só de menu especial de agosto que vive o Chez Vous. Eles possuem muitos outros pratos típicos da Bélgica e vários drinks bem feitos para nos deixar felizes. Fiquei sabendo até, que a própria embaixada belga em São Paulo, escolhe o lugar para fazer diversos eventos. Não deve ser à toa… Mas agora, vamos aos pratos e cervejas! Vou fazer em tópicos porque fica mais fácil para vocês verem os pratos e eu explicar. São muitos!

– Boulettes Sauce Liégeoise com a cerveja Orval
São almôndegas belgas em molho de cerveja preta e geleia de pera e maçã, fritas belgas e maionese caseira. Essa harmonização, é de contrastes. Pois a cerveja é âmbar, mais escura e tem um pouco de amargo ao final, por conta do lúpulo. Aí você bebe a cerveja e prova um prato agridoce, por conta da geleia, a geleia de Liége (que é uma cidade da Bélgica). Esse foi o prato que eu mais gostei de todos, e olha que foi difícil escolher.

– Steak Tartare Poële com a cerveja Straffe Hendrik Tripel
Steak Tartare Selado com lascas de Queijo Brie, fritas belgas e salada. É uma cerveja bem rústica, vem da maravilhosa cidade mediavel de Bruges. Tem toque cítrico que combina com o queijo Brie. Um prato leve, cheio de sabores frescos e a cerveja combina perfeitamente com todo esse frescor.

– Carbonnades à la Flamande com a cerveja Rochefort 8
Ensopado de carne na cerveja belga com cenouras e batata bolinha. Outra cerveja trapista, seguindo as tradições trapistas (vou colocar a explicação disso ali embaixo). O número 8 tem a ver com o teor alcóolico dela. Uma cerveja forte para acompanhar a delicadeza do prato do ensopado. Equilíbrio perfeito entre a bebida e a comida.

– Cuissot de Sanglier à la Kriek com a cerveja Straffe Hendrik Quadrupel
Pernil de Javali (a titia aqui gosta muuuuito de carne de javali) em molho de cerveja Kriek, peras em caldas, purê e amêndoas torradas. O javali fica marinando 24h na cerveja Kriek, que tem base de cereja e bem leve. As amêndoas entram porque a cerveja tem tons de malte tostado e castanhas, combina tudo! Detalhe pro teor alcóolico dessa cerveja! 11%! Pasmem! Javali no ponto certo, pera maravilhosa. Adorei esse prato também.

– Waffle de Bruxelas com a cerveja Straffe Hendrik Quadrupel
Tradicional waffle belga com calda de chocolate meio amargo e chantilly. O waffle perfeito da vida. Leve, todo aerado com a massa macia e sabores neutros para não brigar com a calda de chocolate nem com o chantilly. Nunca havia comido um waffle desse fora da Europa. Alucinei! A cerveja é a mesma do prato do javali, pois combina com o amargo do chocolate.

– Torta de Chocolate Belga com a cerveja Kriek
Basicamente, uma torta somente de chocolate. Todinha de chocolate. Não vai farinha nessa torta, de nenhum tipo. Cacau é o ingrediente principal! Combina com a cerveja Kriek que é bem docinha, lembrando um frisante com teor alcóolico baixo, leve. Cerveja doce e até um pouco cítrica para combinar com a torta mais amarga.

Quem foi nos orientando nessa degustação, foi o Davi. Ele nos deu uma verdadeira aula de cerveja e gastronomia belga para a gente. Disse que existem apenas 12 mosteiros com a técnica e metodologia trapista no mundo todo. 6 deles ficam na Bélgica. Mas o que seria essa tal de tradição trapista? O que tem de especial com essas cervejas? Como elas são feitas? Eu já explico!

Para uma cerveja ser considerada trapista, ela precisa ser feita por monges ou sob a supervisão deles. Mas não é só isso. Ela precisa ser produzida dentro dos muros de um monastério trapista, a cervejaria tem de ser de importância secundária dentro do monastério, a cervejaria não pode ser criada para fins lucrativos, a renda deve cobrir os gastos de vida básica dos monges, manutenção dos prédios, etc. E por fim, elas precisam ser sempre monitoradas para que nenhuma das regras acima seja quebrada.

Então aquela história de a cerveja belga é mesmo uma das melhores (ou a melhor) do mundo, não é história. Eles mandam muito bem quando o assunto é cerveja e chocolate! Humm… Como tantaaaa coisa boa pode sair de um país tão pequenino?

Bom, a verdade é que o Chez Vous não é só mais um restaurante entre os milhares que temos aqui em São Paulo. O Chez Vous nos traz uma experiência gastronômica fora do comum, extraordinariamente deliciosa, que nos faz querer voltar mais um monte de vezes para ir provando tudo do cardápio. A gastronomia belga é fascinante e o Chez Vous, consegue nos deixar ainda mais apaixonados por tudo isso. Corre pra lá e me conta depois! =D

Chez Vous – Casa Gastronômica

Av. Lavandisca, 395. Moema. São Paulo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*