Brasil

Cachoeira do Buracão, na Chapada Diamantina

Cachoeira do Buracão, na Chapada Diamantina

 

Como prometido, estou publicando aos poucos e em partes (no melhor estilo Jack, o estripador) como foi e todos os detalhes sobre nossa viagem à Chapada Diamantina. Quero contar a vocês hoje sobre um dos lugares mais lindos da Chapada e de longe, a cachoeira mais linda que já vi na vida. Não só ela é linda, mas todo o seu conceito, toda sua imponência. Estou falando da Cachoeira do Buracão.

Para acessar a Cachoeira do Buracão, não é tãããooo simples, mas não é impossível e nem exige muito do seu físico. É que se enfiar no meio da mata, caminhar por pedras, descendo e subindo, não é tão fácil. Mas acreditem em mim, vale a pena o esforço.

Para chegarmos lá, fizemos uma trilha de mais ou menos 3km, mas como havia pontos de subida e descida (tinha chovido também), então não era tão rápido. Mas foi tranquilo. No meio da trilha, existem muitas coisas peculiares, como uma plantinha linda que os nativos apelidaram de “caatinga de porco”, carinhosamente. Ela tem folhas delicadas e uma florzinha fofa bem pequenina e branca. Mas ela solta um cheiro terrível no ar, então não culpe quem estiver perto de você por isso. A culpa é mesmo da planta nesse caso. Até pensei em trazer uma muda dela para minha mãe, mas ela não achou a ideia muito boa (hahahaha). No percurso também passamos pela Cachoeira da Orquídea. Lá estava batendo muito sol e é tudo bem raso lá, não tem problema algum. A queda pode ser usada como massageador nas costas das pessoas (todo mundo aproveitou).

Ao chegarmos perto da Cachoeira do Buracão, senti o clima ficar mais épico (hahahaha). As formações rochosas que nos acompanhavam, eram lindas e muito majestosas. Amei. E para a gente conseguir acessar a Cachoeira (de mais de 80 metros de queda), tínhamos que nadar em uma espécie de cânion que as pedras fizeram. Não existe uma parte que dê pé. É tudo muito fundo, com a profundidade girando em torno dos 6 metros. E a água era escura, bem preta, por causa dos minerais que tinha ali. Na verdade, eu arriscaria a dizer que a água não era preta, mas sim um vermelho muito escuro, tipo cobre escuro, sabe?!

Enfim, com colete salva vidas, me joguei na água sem nem pensar. Estava bem frio, porque lá não bate tanto sol nessa época do ano (é tipo um buracão mesmo, de verdade). Mas aguentei bem e fui grudada no Ale, nadando para chegar até a cachoeira, para conseguir ter acesso e visão dela. Quando o buraco se abriu e ela apareceu, eu pensei “meeeeuuuu Deeeeuuuussss” e minha boca demorou para fechar. Aquele cenário todo, todos seus elementos e a cachoeira ali, intocável e perfeita… É algo que jamais esquecerei na vida. Fiquei completamente apaixonada por essa cachoeira.

Como ela é bem alta e havia muito spray, não consegui abusar muito das fotos, mas acho que as poucas que consegui, fizeram seu papel de tentar representar um pouco do que é essa gigante. A Cachoeira do Buracão é maravilhosamente linda. Se você quiser e tiver um guia bacana, pode se arriscar a passar por trás da queda da cachoeira e ficar lá, curtindo a vibe que ela te passa. São mais de 80 metros (eu li 85 metros, li 90 metros e me falaram 83, tô confusa quanto a precisão e prefiro dizer “mais de 80” hehehe) de pura beleza. Muita gente considera essa cachoeira, como a mais linda do Brasil. Não sei das outras, mas na minha lista, está ganhando disparado!

Já escrevi isso nos textos anteriores e vou escrever novamente. Estou perdidamente apaixonada pela Chapada Diamantina e acho que todos os brasileiros que amam nosso país e amam a natureza, merecem ir conhecer esse lugar incrível, cheio de energia e pessoas maravilhosas. Aguardem os próximos textos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*