Restaurantes

Brunch no Bistrot Bagatelle, em São Paulo

Brunch no Bistrot Bagatelle, em São Paulo

 

Quero começar dizendo que o Bagatelle é um dos restaurantes mais bonitos de São Paulo, definitivamente. Como é linda a decoração, as plantas, arabescos, disposição das mesas e tudo mais. É lindo, é lindo, é lindo! Só por isso, já valeria muitas estrelinhas. Mas aí, quando você prova os pratos e os drinks, fica com a certeza de que esse restaurante é fantástico mesmo. Não estou sendo exagerada. Adoro escrever sobre bons restaurantes que conheço por aí.

A ideia do brunch foi criada em New York, que deveria ser uma refeição entre o café da manhã e o almoço no domingo, mas esqueça esse conceito. É realmente um almoço. Gosto bastante desse esquema de brunch. Sempre super alegre e despojado, uma refeição despretensiosa que não precisamos exigir demais. É uma boa razão para a gente beber bons drinks cedinho, não importa o dia (hahahaha). E domingo passado, fui conhecer o Brunch que o Bagatelle está organizando todos os sábados e domingos. Com um cardápio especial, preços ótimos e drinks… Nhaaammm! <3

Antes de mais nada, quero falar um pouco sobre o Bistrot Bagatelle. A matriz do restaurante fica em New York. Eles possuem filiais em vários lugares do mundo e temos sorte de ter um aqui em São Paulo. Os lustres de cristal, quadros contemporâneos na parede, toalhas brancas e sofá de couro, são padrões da decoração de todos os restaurantes, em todas as filiais. Um ambiente que mistura o moderno com o clássico francês que todo mundo acha perfeito. Eu acho, pelo menos.

Agora, vamos falar sobre os pratos. O brunch do Bagatelle é à la carte. Existem diversas opções para escolhermos de entrada, como ovos feitos de diversas maneiras. Ovo é algo que nunca falta em brunchs. Mas o destaque, para mim, é o Oeufs Bénédicte Bagatelle, que é um ovom poché com espinafre, bacon artesanal, brioche da casa e molho béarnaise. Mas também existem várias opções de saladas. Nós escolhemos a Salade de Jamón Serrano et coeur de palmier. Que é uma salada de folhas verdes com pupunha fresca, ervas e presunto serrano. Estava uma delícia.

Ahh! Esqueci de falar. Começamos pelo couvert. Óbvio. Custa 12 reais por pessoa e você pode comer pães com vários molhinhos, incluindo manteiga com flor de sal. Estava bem saboroso também.

Aí, existem várias opções para compartilhar. Tartare, ceviche, carpaccio, coxinha (mas não pense que é uma coxinha normal, pois ela é feita com galeto assado e tem shitake na mistura) e os famosos calamares, que são as lulas fritas. Mas nós escolhemos um dos carros chefes da casa, o Burger&Lobster.

Nada mais é do que um hambúrguer com queijo emmental, picles de cebola e molho choron servido num pão de brioche. Mas sabe o que acompanha essa belezinha? Fritas (nhaaamm batataaaa) e lagosta grelhada. Isso mesmo. Além de comer um belíssimo burger, você ainda tem a chance de provar belos pedaços de lagosta, feito ao estilo e tempero francês. Não é demais? Estava maravilhoso esse prato.

De pratos principais, existem várias opções. Difícil é escolher apenas um. As opções ficam entre massas, aves, carnes e frutos do mar. Eu escolhi (depois de muito pensar) o Filet Mignon Béarnaise. Era um medalhão de filet mignon em cima de uma caminha de sauté de espinafre e servido com fritas. O molho béarnaise vinha à parte. O Ale escolheu o Gnocchi à lá Parisienne de Nicolas. Que era um gnocchi caseiro servido com molho de trufa negra (truuufas, só o cheiro já me fez fica com água na boca). Ambos pratos estavam maravilhosos e impecáveis. Tudo no ponto certo, combinação de sabores e texturas, etc. Tudo nota 10!

Só para dar um “spoiler” do cardápio do brunch, eles possuem opções como Magret de Canard (que é o magret de pato, mais francês impossível) e Riz à lá Langouste (que é um risoto de lagosta). Esses foram outros pratos que fiquei na dúvida, mas acabei pedindo a carne mesmo. Mas não me arrependo. Só acho que terei que voltar (hahahaha).

Para sobremesa, já que estamos falando de um bom restaurante francês, não poderia pedir outra sobremesa que não fosse um belo Crème Brûlée. Tradicional. Sem frescuras e invenções. O Crème Brûlée tradicional e perfeito. Não tão doce, suave e com o açúcar crocante. Um dos melhores que já comi, com certeza. O Ale ficou no Fondant au Chocolat, que era um fondant de chocolate com uma espécie de geléia de framboesa e sorvete de baunilha.

Sobre os drinks… Já adianto que a carta de drinks deles é fantástica. Eu fiquei apaixonada por esse drink lindo aí da foto abaixo. Se chama Fleur de Lis e é feito com espumante, xarope de maçã verde e suco de abacaxi. Estava delicioso! Depois provei o Pink Pearl e esse drink é inovador, pelo menos para mim. Ele é feito de vodka Absolut, xarope de melancia com gengibre (nhaaaaaa delícia), limão siciliano, tônica e pérolas gigantes de melancia. Sim. Pérolas de melancia. Eles fazem bolinhas com a fruta. Eu achei lindo! Fiquei brincando com as pérolas (e comendo) o tempo todo.

Mas, existem muitos outros drinks na carta deles. Caipirinhas, todos os clássicos e muitos outros tão criativos quanto esses que provei no Brunch. O pessoal do Bagatelle realmente manda muito bem com relação a criar, drinks e pratos.

Acho que já deu para perceber que eu amei o brunch do Bagatelle, né?! Vale muito a pena conhecer e os valores, dependem muito do que você vai querer provar. Existem drinks mais caros, pratos mais caros, mas também existem opções mais em conta. A verdade é que o Bagatelle é um bom restaurante aqui de São Paulo, requintado e existe um preço para isso. que na minha opinião, é bem justo.

Ahh! Já ia me esquecendo. Alguns dias da semana, depois de uma certa hora da noite, o lugar vira uma baladinha. Para quem gosta, vale a pena também. Mas para quem prefere só comer, vá correndo conhecer o brunch do Bagatelle, que acontece todos os sábados e domingos, das 13 às 18h, bem no coração de São Paulo.

Bistrot Bagatelle

Rua Padre João Manuel, 950. Jardins. São Paulo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*