Meus Livros

A Vida e Paz de Sophie Magret – Capítulo 13

Capítulo 13

Sophie voltou para sua casa e Jacques se foi. Assim que ele foi embora, ela começou a desejar que ele voltasse. Estranhamente, ela queria estar com ele o tempo todo. Jacques estava sentindo a mesma coisa e teve que se segurar, controlar seu impulso de voltar e agarrar Sophie em seus braços novamente. Nenhum dos dois iria ao Café Guerbois. Nenhum dos dois queria conhecer mais ninguém. Eles estavam sincronizados nesse sentimento que só crescia e que parecia que sempre esteve ali, só estava adormecido.

Ao entrar em casa, Sophie passa pela e se encosta nela ao fechar. Fecha os olhos e respira fundo. Queria estar com Jacques novamente, ela sentia ainda o cheiro de seu abraço nas suas roupas e em sua pele.

– Parece que o dia foi bom, não é querida? – Disse Marrion da sala e Sophie se assustou.

– Nossa, nem vi você aí, Marrion.

– Eu sei. – Marrion sorriu. – Me conte como foi seu dia. Estou curiosa.

E Sophie contou alguns detalhes a Marrion de seu dia ao lado de Jacques. Contou que se abriu a ele, as histórias de vida dela, dele, e que ele a chamou para viajar.

– Olha, eu o conheci em apenas por alguns minutos, mas ele me pareceu encantador. Acho que ele pode ser exatamente o que você precisa em sua vida.

– Eu sei. Talvez possa ser… Com ele eu me sinto estranhamente feliz. E agora, que ele se foi, minha vontade era de correr e abraçá-lo de volta, ficar colada nele o tempo todo. Jamais senti isso e por Deus, nos conhecemos ontem. – Elas deram risada e os olhos de Sophie se encheram de lágrimas. – Não sei se posso fazer isso, Marrion. Já perdi duas pessoas importantes em minha vida. Não sei se consigo me envolver com alguém e correr o risco de perder essa pessoa, ou pior, fazer essa pessoa sofrer caso algo aconteça comigo.

– Minha querida Sophie. Você já está envolvida com ele. Para algumas pessoas esse processo pode demorar meses, anos. Mas para outras pessoas, basta um olhar para que essas almas se reconheçam e desejem ficar juntos. São encontros raros. E isso aconteceu com você, meu amor. Não tenha medo do que está sentindo. Tenha medo de não sentir isso. Jacques parece ser um rapaz honrado, de família e de coração bom. Tente. Não tem nada a perder.

Sophie sorriu sem mostrar os dentes e balançou a cabeça. Admitiu para si mesma que já estava apaixonada por Jacques.

Sua cabeça estava um turbilhão. Era cedo para os padrões de Café Guerbois, porém tarde para as pessoas normais. Então, Sophie decidiu ir para seu ateliê e tentar produzir alguma coisa. Ela pegou uma tela em branco, algumas cores aleatórias e ficou encarando a tela por algum tempo. Ela fechou os olhos e um desenho veio a sua cabeça. Em segundos ela começou a pintar. Estava com muita energia e não parou nem para beber água. Marrion sabia que Sophie estava lá, mas como estava em casa, ficou mais tranquila e foi dormir.

Algumas horas depois, Sophie estava com a tela pronta e ficou olhando para ela. Sorriu e seus olhos ficaram úmidos de emoção. Acendeu um cigarro e ficou admirando a sua tela. Pensando o que iria fazer com ela.

Era um rapaz olhando de perfil para trás, sorrindo. De chapéu na cabeça, sentado em um jardim, com flores coloridas atrás. Era Jacques. Um vislumbre daquela tarde, onde Sophie admirava cada vez mais a beleza daquele homem. E ela decidiu ir dormir. Mas queria mesmo estar indo dormir ao lado dele. Ela simplesmente, não conseguia imaginar ter o suficiente de sua presença. Era como se estar com ele, fosse algo insaciável.

***

Jacques estava sentindo exatamente a mesma coisa. Ele já estava em sua casa há algum tempo, porém não conseguia dormir. Estava sentado em uma cadeira da sala da casa dos seus pais, segurando um copo com alguma bebida dentro que parecia ser whisky, pensando em Sophie, no dia agradável que tiverem, na história de vida que ela tem, em como ela tem uma personalidade peculiar. Ele também estava com vontade de voltar e ficar o tempo todo com ela. Sentiu que se afastar e ficar longe realmente o deixou triste.

Ele não conseguia parar de pensar em como fazer com que Sophie voltasse a ser feliz de verdade. Ele também estava se sentindo estranho com a repentina atração por ela, mas decidiu que se deixaria por isso. Não queria pensar. Ele queria apenas estar com ela. Ver aquele sorriso nascer entre os seus lábios mais vezes.

Jacques poderia se imaginar com Sophie em muitos lugares. Ele sabia de algumas regiões da própria França que ele gostaria de estar com ela. Champagne, Bordeaux, Provence e a própria Côte d’Azur. Mas ele sabia que viajar para o litoral a faria sofrer e ele não queria isso.

Mas de repente ele pensou o que poderia ser perfeito para que eles pudessem viajar juntos. Uma viagem linda e romântica, sem precisar ir muito longe.

– Perfeito. Mal posso esperar para lhe contar. – Jacques sorriu e já havia decidido para onde queria viajar com Sophie.

Repentinamente, lhe veio uma lembrança de sua esposa, quando estava mal, quase não conseguia falar. Ela estava em uma cama e ele segurando sua mão, como fazia o tempo todo em que ela estava doente, até o momento em que ela partiu.

– Jacques. – Ela Amanda tinha a voz fraca, quase não conseguia falar, mas queria dar um recado a Jacques, o amor de sua vida.

– Estou aqui, meu amor. – Jacques beijou a mão dela com delicadeza.

– Eu sei que vou morrer logo. – Ela disse com a voz quase audível. Ele balançou a cabeça e seus olhos se encheram de lágrimas.

– Não me diga essas coisas, Amanda. Isso eu não quero escutar. – Jacques ficava bravo quando ela mencionava esse tipo de assunto.

– Me escute. Por favor. – Ela respirou fundo e fechou os olhos. Ele prestou atenção. – Eu quero que você encontre outra pessoa em sua vida, para amar mais do que me amou. Para ser ainda mais feliz. Pois você é a melhor pessoa que conheço em minha vida. Quero que seja estupidamente feliz. Mais do que jamais imaginou. – Ela dizia palavra por palavra, devagar. Jacques torceu o rosto e despencou em lágrimas, apoiando a cabeça na mão dela que ele segurava. Ela passou a outra mão por cima de seu corpo e acariciou os cabelos dele. – Meu amor. Nossa união foi a melhor coisa que me aconteceu e é isso que vou levar. A certeza de que fui amada e feliz, plenamente. Quero que você me prometa que irá buscar a pessoa certa para caminhar ao seu lado, até o final de sua vida.

Jacques levantou a cabeça e olhou nos olhos de Amanda. Eles ainda brilhavam, ainda estavam vivos e apaixonados. Ela esperava a promessa dele.

– Eu prometo. – Jacques disse com a voz engasgada e eles sorriram um para o outro.

Jacques se aproximou delicadamente e beijou os lábios de Amanda, que adormeceu em seguida.

Ele conseguia se lembrar de cada palavra que ela havia dito naquela tarde. Ele sentiu novamente aquela angústia que sentia por saber que estava perdendo sua esposa e não poderia fazer absolutamente nada. Seus olhos se encheram de lágrimas novamente. Essa foi a fase mais triste de sua vida até aquele momento.

Jacques não tinha como ter certeza de que Sophie era a mulher certa para ele, mas tinha a certeza de que queria tentar.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*