Enobacana

5 vinícolas para se visitar na região de Bordeaux, na França

5 vinícolas para se visitar na região de Bordeaux, na França

 

Como acabei de voltar de lá, está tudo bem fresquinho na minha cabeça ainda. Para os amantes e estudantes dessa maravilhosa arte de beber bons vinhos (lembrando que o melhor vinho é aquele que você gosta), Bordeaux é uma parada obrigatória e deliciosa. A cada gole podemos sentir a história de cada vinícola, ou Château como são chamados. Além de ter bons vinhos, Bordeaux é uma cidade linda que merece ser visitada. Fica bem perto de Paris se formos de trem, algo em torno de 2 horas e meia. Vale a pena passar alguns dias lá, pois a região tem MUITO o que oferecer. Bons vinhos, boa comida, paisagens perfeitas. Assim é Bordeaux. Um mundo encantado para quem ama vinho e para quem ama a França. Já escrevi sobre cada château que visitei lá, mas decidi fazer esse texto para vocês terem um resumo bacana sobre tudo isso.

– Château Bardins, em Péssac-Léognan

Com uma produção de aproximadamente 45 mil garrafas por ano, aproximadamente, o Château Bardins ganhou meu coração. Não por ter um vinho excepcional e cheio de personalidade (bom, por isso também), mas por ter uma produção reduzida, com muita, mas muuuita qualidade. Eles escolhem a dedo as uvas, literalmente. Todo o processo é acompanhado de perto pelos donos, por pouca gente. Então já podemos supor que os vinhos não sofrem muitas variações, apenas quando a safra não colabora. Um belo exemplar de como um vinho de Bordeaux deve ser. Fica localizada na região denominada como Graves, conhecida por ter um solo com bastante pedras. O que é bom para as videiras.

– Château d’Yquem, em Sauternes

Quando pensamos em vinho doce (ou de sobremesa), esse nome é primeiro a pipocar na nossa mente, justamente por se tratar do melhor vinho doce do mundo, produzido na melhor região do mundo para isso, feito da melhor forma possível. Os vinhos do Château d’Yquem são produzidos a partir de uvas botritizadas (que sofrem a ação do fungo Botritis Cinerea com a ação correta do clima também, produzindo a podridão nobre) e essa forma de deixar o açúcar residual da uva é a melhor, pois a acidez da fruta é mantida. Uma garrafa pequena pode chegar a milhares de reais e nesse caso, quanto mais antigo, mais complexo o vinho. Podemos notar aromas de mel, principalmente. Na boca… bom, nem preciso descrever. É realmente o melhor.

– Château Gruaud Larose, em Saint-Julien

Sem dúvidas, a vinícola mais moderna que já visitei em toda minha vida. Com toda certeza. Até fiquei meio perdida estando lá. Fica na região chamado de Saint-Julien, que é uma sub-região de Médoc. Região conhecida por ter como predominância o plantio da uva Cabernet Sauvignon. Eles produzem apenas 2 tipos de vinhos, mas na degustação provamos de safras diferentes. Eles são tão bons, que mesmo se o clima não ajudar (veja, se for cair granizo que é o pior que pode acontecer para uma plantação de uvas, eles possuem um aparelho enorme que emite uma onda para as nuvens e quebra o granizo lá em cima, sim é verdade, pasmem), eles vão produzir um vinho incrível e maravilhoso. Pode comprar qualquer um que estará bem.

– Château Lanessan

Esse château fica na região chamada de Haut-Médoc (ou algo como o alto Médoc), com vizinhos bem famosos e de renome. Eles produzem um ótimo vinho e lá eles preferem deixar a fermentação acontecer em tanques de concreto, técnica utilizada em diversas vinícolas pelo mundo, inclusive em Bordeaux. Com muitos e muitos anos de história, eles produzem em maior escala vinhos com Cabernet Sauvignon, fiz uma degustação vertical lá (algo que sempre quis fazer, mas nunca tive a oportunidade) do primeiro vinho deles. Foi sensacional. Um vinho encorpado, com personalidade. Amei!

– Château Branaire-Ducru

Está na lista dos melhores vinhos de Bordeaux. Um château com bastante história, com bastante caráter. Está localizado na região também de Saint-Julien, o Château Branaire-Ducru produz vinhos incríveis. O lugar é lindo demais, com jardins perfeitos, sem uma folha fora do lugar. Fantástico ter a oportunidade de conhecer um lugar assim. Eles também possuem bastante controles modernos para todas as etapas da produção do vinho, desde a colheita, passando pela fermentação até a hora de engarrafar. Conheci tudo isso de perto e entendi o porquê de eles produzirem um vinho tão bom.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*